jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Os idosos e o Disque 100

Editorial
30 de junho de 2019
O funcionamento do Centro Dia, mais conhecido como Creche do Idoso, que já está concluído, é uma das principais reivindicações do Conselho Municipal do Idoso, que desde fevereiro passou a ser denominado Conselho Municipal de Direitos da Pessoa Idosa.
A eleição para renovação da diretoria aconteceu nesta quinta-feira, dia 27 de junho, pela manhã, no Centro Pastoral, para um período de dois anos, a partir de julho, como informou Nilmar Humberto Donini, ex-conselheiro e membro da comissão da eleição, lembrando que a primeira reunião da nova diretoria está marcada para o dia oito de agosto.
O conselho, segundo ele, funciona para garantir os direitos da pessoa idosa que tem seu dia comemorado em 15 de junho, atuando como fiscalizador das políticas públicas para o setor e também pode deliberar sobre vários assuntos de interesse desse público. São 10 membros (cinco titulares e cinco suplentes) da sociedade civil e 10 da administração pública. 
Nilmar destacou que existem muitas dificuldades provocadas principalmente pelo desconhecimento da população em relação à questão dos idosos, ao contrário do que acontece, por exemplo, em relação à criança e ao adolescente. Essa falta de informação faz com que o atendimento aos idosos seja mais difícil e tenha muitas necessidades e uma delas é o funcionamento do Centro Dia. 
Outra questão que está sendo encaminhada é a criação do Fundo do Idoso como forma de contribuir para que o Conselho possa autorizar atividades voltadas para os idosos, inclusive por entidades que trabalham com esse público, como o Lar dos Velhinhos São Vicente de Paulo.
A ampliação do número de vagas para idosos na Zona Azul, com o estacionamento gratuito por até duas horas, é outra reivindicação que o Conselho levou para a Prefeitura e Câmara, mas ainda não foi resolvido.
Também é função do Conselho Municipal combater a violência contra a pessoa idosa que a Organização Mundial da Saúde define como “ato de acometimento ou omissão que pode ser tanto intencional como voluntário. O abuso pode ser de natureza física ou psicológica ou pode envolver maus tratos de ordem financeira ou material. Qualquer que seja o tipo de abuso certamente resultará em sofrimento desnecessário, lesão ou dor, perda ou violação dos direitos humanos e uma redução da qualidade de vida da pessoa idosa”.
Os tipos de violência definidos pela OMS são: interpessoal, física, abuso psicológico e abandono, violência sexual, negligência, abuso financeiro e econômico, autonegligência e violência emocional e social. Qualquer tipo de abuso pode ser denunciado pelo Disque 100.