jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

OS DADOS referentes ao número de mortes no trânsito registradas em Jales nos últimos cinco anos (veja matéria nesta edição) trazem informações importantes quando analisadas sob o ponto de vista do que isso significa em uma cidade do porte da nossa, onde com um pouco mais de cuidado, atenção e mais a

Contexto
26 de janeiro de 2020
OS DADOS
referentes ao número de mortes no trânsito registradas em Jales nos últimos cinco anos (veja matéria nesta edição) trazem informações importantes quando analisadas sob o ponto de vista do que isso significa em uma cidade do porte da nossa, onde com um pouco mais de cuidado, atenção e mais ainda de responsabilidade, muitas dessas ocorrências poderiam ser evitadas.
 
SABEMOS 
que parte dessas mortes acontecem nas estradas, normalmente em acidentes mais graves e principalmente fora da Rodovia Euclides da Cunha que tem registrado menos casos depois da duplicação, embora os abusos ainda continuem, com registros de velocidades que em alguns casos passam de 200 quilômetros por hora. 

ACONTECE
que na cidade as mortes também ocorrem, envolvendo principalmente motos e pedestres, exigindo mais campanhas educativas voltadas para a atenção do motorista e cuidados que as pessoas devem tomar ao atravessar as ruas e avenidas, não só na área central, mas em vias de menor movimento.

QUANDO
se fala em mortes no trânsito, dá para ter uma ideia do número de acidentes que ocorrem quase que diariamente, sem vítimas fatais, mas resultando em muitas pessoas feridas que precisam ser socorridas e atendidas, sendo que em vários casos os danos físicos acabam sendo irreversíveis, incapacitando  para o trabalho e outras atividades e aumentando os gastos públicos.

NA ÁREA
urbana e nas estradas municipais o poder público procura fazer sua parte, contando com o apoio do Conselho Municipal de Trânsito, um órgão de apoio independente que apresenta sugestões nessa área, formado com representantes de diferentes segmentos da comunidade.

ATUALMENTE
aguarda-se a conclusão de estudos para uma reformulação do trânsito  já se sabendo que várias melhorias deverão ser introduzidas, junto com uma melhor sinalização, orientações e outros serviços, como algumas obras que estão sendo programadas. 
  
TUDO
 isso deverá contribuir para melhorar a situação, inclusive com a atividade delegada que coloca um policiamento mais intensivo na área urbana que já começa a ter seus reflexos no trânsito, quando se nota um pouco menos de abusos de velocidade, menos motos barulhentas e por aí vai. O resto é mesmo uma questão de educação. (Luiz Ramires)