jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Ordem unida

Editorial
01 de julho de 2018
O título deste comentário é proposital pois tem tudo a ver com o que será refletido nas linhas que se seguem.
Trata-se de uma paráfrase da expressão militar ordem unida que significa, em síntese, “formação habitual de marcha, de parada ou de reunião dos componentes de uma tropa”.
Pois bem, pode-se definir desta maneira a mobilização articulada pelo Fórum da Cidadania, a propósito do anúncio de que a Receita Federal decidiu fechar sua agência em Jales. 
Para quem não sabe, o Fórum da Cidadania é uma instância comunitária formada por dirigentes de entidades de classe, clubes de serviço, associações profissionais e instituições filosóficas.
O Fórum nasceu em 1998 após a publicação de uma série de 12 editoriais, sempre na primeira página, com o mesmo título—“Acorda, Jales”— ao longo dos quais o Jornal de Jales fez um chamamento às chamadas forças vivas e atuantes da cidade a se posicionarem diante da falta de rumos da administração municipal.
A análise contemplava também a incerteza de eventuais investidores em Jales bem como a falta de horizontes promissores para os jovens, que começavam a procurar outras plagas.
O tom do “Acorda, Jales”, sem falsa modéstia, serviu para sacudir o limoeiro do imobilismo então reinante e contagiou corações e mentes.
Sob a égide do Fórum, foi deflagrada uma série de ações comunitárias que mobilizaram lideranças políticas, o que resultou em conquistas de ordem institucional que embutiam a condição de cidade centro de região não somente no aspecto geográfico, mas também —e principalmente — de fato.
Foi com esse espírito que Jales conquistou a Justiça Federal, Ministério Público Federal, Polícia Federal, todos com abrangência sobre 45 municípios, Ambulatório Médico de Especialidades (AME), Faculdade de Tecnologia de Jales (Fatec), Universidade Aberta do Brasil (UAB), bem como abriu portas na Secretaria Estadual de Saúde para a Santa Casa e, no mesmo segmento, veio o Hospital de Câncer, hoje Hospital de Amor, o primeiro espaço de cura que a Fundação Pio XII instalou fora de Barretos.
Também foi a força da comunidade que garantiu a Delegacia Seccional de Polícia (polo de 22 municípios) vinculada a São José do Rio Preto. 
 Pois bem, 20 anos depois, eis o Fórum da Cidadania colocando-se na linha de frente da tentativa de evitar o cometimento de um desvario administrativo por parte da cúpula da Receita Federal que, à falta de melhor entendimento para sair do alçapão em que se jogou, preferiu o mais fácil —corte linear de despesas a partir do fechamento de 22 agências em 14 estados.
A reunião com o prefeito Flávio Prandi Franco (DEM) e dirigentes da Receita, dia 2 e com o procurador da República, José Rubens Plates na sede do Ministério Público Federal anteontem, dia 29 de junho, foi o primeiro passo. A partir daí, resta manter a tropa do Fórum da Cidadania em ordem unida e disposta a enfrentar burocratas bem remunerados de Brasília que, encastelados em luxuosos gabinetes, não enxergam um palmo além de seus narizes.