jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

OPERAÇÃO VOO BAIXO - Polícia Federal desarticula esquema de tráfico internacional de drogas que incluía cidades da região

A agência de notícias da Polícia Federal informou que a PF deflagrou, na manhã desta quarta-feira, 4 de dezembro a Operação “Voo Baixo” para desarticular uma organização criminosa internacional especializada no tráfico de drogas
08 de dezembro de 2019
Cidades da região também foram incluídas na operação internacional contra drogas da Polícia Federal
A agência de notícias da Polícia Federal informou que a PF deflagrou, na manhã desta quarta-feira, 4 de dezembro a Operação “Voo Baixo” para desarticular uma organização criminosa internacional especializada no tráfico de drogas. Foram cumpridos 13 mandados de prisão temporária e 33 mandados de busca e apreensão.
O grupo criminoso era comandado por um suposto empresário do interior de São Paulo, que articulava a compra e o transporte aéreo da droga de traficantes bolivianos, recebia a cocaína no Mato Grosso do Sul e a transportava por meio de aviões ao Estado de São Paulo. Iniciada em maio de 2018, a ação da Polícia Federal resultou em apreensões que totalizam, aproximadamente, 2.6 toneladas de cocaína e na prisão de outras 11 pessoas.
Os 46 mandados judiciais foram cumpridos pela PF nas cidades Araçatuba/SP (4), Campinas/SP (2), Dourado/SP (1), Guararapes/SP (1), Jaú/SP (1), Pereira Barreto/SP (3), Ribeirão Preto/SP (1), São José do Rio Preto/SP (8), São Paulo/SP (1), Vargem Grande Paulista/SP (1), Cassilândia/MS (2), Alcinópolis (1), Coxim/MS (3) e Três Lagoas/MS (2), Presidente Getúlio/SC (1) e Eunápolis/BA (1), em 4 diferentes Estados (SP, MS, BA e SC).
Ainda segundo a agência, além dos mandados judiciais, foram realizadas apreensões de 15 aeronaves, bem como solicitado o sequestro de imóveis, dentre eles 3 fazendas.
Os investigados foram indiciados pela prática de crimes de tráfico de drogas (artigo 33, parágrafo 1º, inciso I, da Lei 11.343/06) e associação para o tráfico de drogas (artigo 35 da mesma lei), com penas de 5 a 15 anos e multa e 3 a 10 anos e multa, respectivamente.

COMANDO
Em entrevista em São Paulo, a PF informou que o chefe da quadrilha morava em Rio Preto, onde foram apreendidos dois aviões. Um homem foi preso em Pereira Barreto e chegou a ser trazido para a Delegacia da Polícia Federal de Jales e depois liberado, segundo informação da TV TEM.
O site G1 Rio Preto informou que naquela cidade foram presos o empresário, sua esposa e um irmão que estavam em uma casa em condomínio de luxo. Com eles, a polícia apreendeu carros importados e armas. Segundo a PF, aeronaves estão registradas nos nomes deles.
Ao G1, o advogado do empresário que o defende em outros processos, disse que tomou conhecimento da operação da PF pela imprensa.