quinta 22 outubro 2020
Editorial

Olho no olho

Ao que tudo indica, as entidades de classe, clubes de serviço, associações profissionais e instituições filosóficas que compõem o Fórum da Cidadania, manterão a tradição, promovendo debate entre candidatos à Prefeitura.

Em princípio, o confronto entre os prefeituráveis Luís Henrique Moreira (PSDB), Luís Especiato (PT) e Ailton Santana (PV) deverá ocorrer no dia 29 de outubro, portanto a 17 dias da eleição.

A iniciativa do Fórum da Cidadania, especialmente da Associação Comercial e Industrial de Jales, é das mais louváveis na medida em que, em função da situação atípica decorrente da pandemia de coronavírus, há necessidade, mais do que nas vezes anteriores, de se buscar soluções alternativas para atingir o maior número possível de eleitores.

Como os showmícios estão terminantemente proibidos desde as últimas duas eleições e como não haverá comícios, até porque aglomerações devem ser evitadas, e como a ciência e a medicina recomendam uma série de cuidados no contato entre pessoas, debater ideias em ambiente seguro é uma forma inteligente de esclarecer o eleitorado.

Afinal de contas, há uma grande diferença entre os programas veiculados no horário eleitoral gratuito por todos os partidos e as inserções ao longo da programação das emissoras de rádio e os debates.

Os programas servem para divulgar os projetos de candidatos e seus respectivos partidos. Ou seja, são peças de propaganda pura e simples criadas pelos marqueteiros para seduzir o eleitorado.

Outra coisa muito diferente é o debate, instrumento que permite o confronto de ideias entre os candidatos e enseja ao eleitor/ouvinte as informações necessárias para que, diante da urna eletrônica, ele faça a escolha que melhor contemple o interesse público.

De outra parte, debater ideias é próprio da democracia, pois abre espaço para o princípio do contraditório, pilar básico das sociedades abertas ao diálogo e a ideias e pontos de vista diferentes ou diferenciados.

A proposta do debate deste ano tem a ver com iniciativa capitaneada pelo Fórum da Cidadania na eleição municipal de 2000 e que foi mantida, com pequenas alterações, ao longo das eleições posteriores.

Todos os candidatos que compareceram aos debates se deram bem e inclusive cresceram nas pesquisas de intenções de votos. Os que se recusaram ao confronto perderam as eleições ou ganharam no chamado olho mecânico.

E, finalmente, vale lembrar que debate entre candidatos não pode ser confundido com briga de rua ou festival de insultos até porque há regras para serem observadas.

Afinal de contas, candidatos a cargos eletivos são concorrentes e não inimigos. Jales deve estar acima de tudo.


Desenvolvido por Enzo Nagata