jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Observatório por FÁBIO CÉSAR FIORANI 11 de outubro

Motel é só diversão
12 de outubro de 2015
Foi destaque no Estadão da semana passada que os motéis de grandes cidades como São Paulo estão fazendo de tudo para atrair clientes. Você pode, por exemplo, ganhar um passeio de helicóptero ou deliciar-se num escorregador aquático nas enormes piscinas das suítes.  E tem até saco de pancada, daqueles de academias de boxe, para aliviar a tensão. No meu tempo a gente aliviava a tensão de outro jeito. Háháhá. Pelo menos agora você pode levar a patroa para o motel sem correr o risco do vexame de falhar no desempenho sexual. Vai lá e brinca de escorregador. Háháhá. Não faltava mais nada. 
E em discurso na ONU, nossa presidente Dilma, afilhada política do nosso eterno líder, falou sobre fontes de energia alternativa, dentre elas a eólica, que transforma a energia do vento em energia útil. E ela lamentou em seu discurso que a humanidade ainda não possui tecnologia para armazenar vento. Háháhá. Ela falou sério! Aqui em Jales já existe essa tecnologia. Numa barraca de pasteis no Comboio. Háháhá. Eu já disse aqui, ou a Dilma é louca, ou tira sarro na nossa cara. Ou será que está preparando o terreno para escapar de cadeia alegando insanidade? Háháhá. 
Estou preocupado com minha filha número 2, a Maria Alice. Acho que ela está viciada em Coca-Cola. E olha que aqui em casa a gente só compra refrigerante nos finais de semana. Domingo passado, enquanto a Maria Alice assistia TV, fui até a cozinha e abri uma garrafa do tal refrigerante. Logo escutei o grito: “Também quero”. Então perguntei: “Como você sabe que estou bebendo Coca-Cola?” e ela disparou: “Escutei o barulhinho quando você abriu a garrafa. Parecia um coro de anjos.” Coro de anjos? Háháhá. 
E a nação está arrasada. A seleção brasileira de futebol perdeu para o Chile na primeira partida pelas eliminatórias da Copa do Mundo de Futebol. Mas as pessoas de bem não estão arrasadas pelo resultado do time nessa partida. A gente fica triste porque essa é a semana de entrega do premio Nobel nas suas diversas categorias.  E fica aquela sensação de complexo de inferioridade. Pudera. Um povo governado por pilantras que quase nada investem em educação e pesquisa. Só pensam em roubar. Se tirarmos essa corja do poder já, ainda levaria uns trinta anos para o país reequilibrar-se.  
E como diria a nossa presidente Dilma: “Subi no pé de alface pra plantar batata frita, já que não tinha manga, roubaram minha bicicleta”. Háháhá. 
Não é fácil! Por hoje é só! Tchau!
 
Fábio César Fiorani ( é Professor de Inglês, graduado pela FAI-Jales e pós-graduado em Língua Inglesa pela UNESP de São José do Rio Preto - Franqueado CCAA em Jales. jales@ccaa.com.br )