Artigo

O retorno às aulas no segundo semestre em momento de pandemia

Rosangela Juliano Bordon Bigulin 

Dia destes, andando pelo prédio da escola, me deparei com os corredores vazios, salas de aula apenas com as carteiras e cadeiras empilhadas, cantina, biblioteca e sala dos professores com as portas fechadas. Contraste gritante com a situação que antecedeu a pandemia causada pela COVID-19, com a presença alegre e contagiante dos alunos, professores e funcionários.  

Bateu uma saudade imensa da convivência com todos no dia a dia da escola, de ouvir o burburinho e correria dos alunos nos intervalos, dos eventos no ginásio de esportes e gritos da torcida. Enfim, da alegria contagiante de todos que fazem parte da instituição.

Somos seres individualizados, mas também coletivos e influenciados pelas relações sociais, portanto, posso afirmar com convicção: como faz falta este contato humano, este convívio e troca de sorrisos e abraços.

Neste momento, tudo está complicado. Tanto para a escola como para as famílias. A ausência da rotina escolar tumultuou a vida dos professores, alunos, pais, direção e dos funcionários. O distanciamento que nos foi imposto pelo coronavírus, colocou sobre todos uma sobrecarga de atividades e responsabilidades.

Os professores assumiram uma rotina de trabalho maior do que a anterior, enfrentando o desafio de ensinar, com muita criatividade, através de um celular ou de uma tela de computador. Os alunos foram privados da companhia dos amigos e da presença física firme e orientadora dos docentes. Quanto aos pais, tiveram suas responsabilidades ampliadas, tendo de conciliar a vida profissional com o acompanhamento escolar dos filhos. Os gestores das escolas tiveram de se preparar para agir com cautela e dentro da lei para atender a todos: alunos, professores, funcionários e familiares.

Neste momento, portanto, todos aprendemos a trabalhar com desafios constantes, pois a cada dia temos de enfrentar uma nova situação tentando sobreviver a ela com criatividade e determinação, auxiliando e motivando todos para continuar trabalhando em uma escola vazia, mas viva virtualmente.

Agora, no mês de agosto, tínhamos a esperança de retornar com as aulas presenciais e poder voltar a conviver e abraçar todos, acabando com esta saudade que vem nos consumindo. Infelizmente vamos ter de aguardar um pouco mais para comemorarmos este retorno e poder passar pelos corredores, entrar na sala dos professores e salas de aula e dizer em alto e bom tom, “bom dia flores do dia”, para esta equipe exemplar de docentes e funcionários e para estes alunos que trazem sentido à existência da escola.

Nada nesta vida, entretanto, acontece por acaso. Durante esta pandemia aprendemos o valor e a importância de cada um dentro da instituição. Vamos retornar às aulas remotas, neste segundo semestre, mais fortalecidos, com muito otimismo, atendendo a todos da melhor forma possível, apesar das dificuldades, enfrentando com determinação os desafios, na certeza de que em breve estaremos juntos nos abraçando e retomando a rotina escolar, pois, com certeza, este momento vai passar.

Rosangela Juliano Bordon Bigulin

(Diretora de Graduação da UNIJALES) 

Desenvolvido por Enzo Nagata