domingo 05 abril 2020
Contexto

O QUE para alguns pode parecer desnecessário ou causar certo desconforto por questão de horário, mobilidade ou algum outro fator, para a grande maioria representa o contrário.

O QUE 
para alguns pode parecer desnecessário ou causar certo desconforto por questão de horário, mobilidade ou algum outro fator, para a grande maioria representa o contrário, em termos de melhoria pelo resultado que deve oferecer para a formação das novas gerações.

O ENSINO
em período integral (ver matéria nesta edição) ainda dá seus primeiros passos no Brasil, mas não é o que acontece em praticamente todos os países desenvolvidos onde essa prática já é antiga, com resultados compensadores, mesmo porque se fosse diferente, já teria sido removida em muitos deles.

UM EXEMPLO
de sucesso desse sistema são as ETECs, como a de Jales, que mantém o ensino em período integral para a formação de técnicos de alto nível que acabam se integrando facilmente no mercado de trabalho, além de assimilar valores necessários para conviver melhor em grupo e na sociedade.   
 
DÁ ATÉ
para entender o descrédito de parte dos pais em relação a esse sistema, se levarmos em conta a precariedade do ensino no país, com escolas sem estrutura e professores desvalorizados, mesmo nos estados mais desenvolvidos.

ACONTECE
que o caminho não é reclamar, mas sim exigir dos governantes um olhar mais adequado para toda a estrutura do ensino, começando pela valorização, capacitação e melhoria salarial dos docentes que precisam ser respeitados como profissionais de alto nível, para que o sistema não  transforme essas escolas em “crechões”, como alguns andam dizendo.

O MODELO
tem que ser aplicado de forma integral, como um todo e isso parece ser a receita de sucesso dos países com melhor desempenho na educação, dando também aos alunos oportunidades para que despertem seus talentos e não fiquem apenas obedecendo regras improdutivas.

SÓ QUE
para isso é preciso rever conceitos e aperfeiçoar o que começa a ser feito nas escolas onde o sistema já foi implantado para que as novas unidades possam receber essa contribuição a partir de experiências bem sucedidas que precisam ser permanentemente aprimoradas. (Luiz Ramires)
Desenvolvido por Enzo Nagata