jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

O homem de 27 anos com postura de menino

Por Eduardo Martins
05 de maio de 2019
Neymar vem sendo sinônimo de polêmica nos últimos meses
Maior craque que surgiu no futebol brasileiro nos últimos 15 anos, Neymar apareceu com status de líder de uma geração e referência para o futebol nacional. Com todas as características para se tornar ídolo do Brasil, o jogador a cada dia comete atitudes que causam revolta em qualquer torcedor e afastam o atleta da possibilidade de ser reconhecido internacionalmente e até no seu próprio país.
O episódio da vez envolvendo o craque ocorreu na final da Copa da França. Após o PSG ser derrotado nos pênaltis pelo Rennes, um torcedor rival provocou o brasileiro dizendo que ele deveria “aprender a jogar bola” e a reação do camisa 10 foi dar um soco no rosto do francês.
Atleta mais valioso da história do futebol, Neymar precisa ter consciência que deve ser exemplo para os outros, ao invés de cometer atitudes como essa. Esse episódio, além da curtição no carnaval deste ano enquanto estava lesionado, mostram como a carreira do brasileiro é mal administrada e comprovam o fato de o jogador, que há nove anos brilha nos gramados espalhados pelo mundo, até hoje tem comportamento de um garoto que está começando a jogar futebol.
Neymar precisa ser punido de alguma forma por todos esses erros, principalmente na seleção brasileira. Após cometer atitude nojenta, cuspindo em um adversário, Douglas Costa ficou fora de uma convocação do técnico Tite e o justo é fazer o mesmo com Neymar. Além disso, o camisa 10 jamais poderá voltar a usar a faixa de capitão da seleção, a mesma que já esteve nos braços de Carlos Alberto Torres e Cafu.
Em relação ao posto, é possível que o jogador seja punido e Tite perceba o tamanho do erro que foi dar ao atleta a responsabilidade de ser capitão e líder da seleção brasileira. Porém, o treinador dificilmente terá coragem de deixar o atacante de fora da Copa América realizada no Brasil, o que seria ótimo para fazer o craque repensar diversas atitudes que vem tomando nos últimos tempos.
Neymar tem nova oportunidade para amadurecer após mais uma conduta condenável e irresponsável, mas possivelmente não será capaz disso e apenas seguirá os “parças” e o seu staff, que ao invés de ajudarem o jogador, em muitos momentos o atrapalham. A tristeza que fica é saber que o brasileiro a cada dia parece estar menos comprometido e interessado em atingir os objetivos da sua carreira.

Eduardo Martins 
 (jalesense, aluno do 3° ano de jornalismo da PUC-Campinas)