jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

O Enem e a Redação

por Ayne Regina Gonçalves Salviano
29 de outubro de 2017
Ayne Regina Gonçalves Salviano
O Enem – Exame Nacional do Ensino Médioacontece nos dias 5 e 12 de novembro. Trata-se da prova mais importante do país porque possibilita o acesso de milhares de estudantes nas universidades públicas federais edezenas de instituições estaduais de ensino superior no país.
Fazer a graduação gratuita em escolas públicas é o desejo da maioria dos brasileiros, principalmente daqueles que não têm condições financeiras para arcar com pagamentos de matriculas e mensalidades acima de 5 mil reais por mês, como é o caso dos cursos de medicina, por exemplo.
Importante destacar que o mesmo Enem, realizado pelo Ministério da Educação por meio do INEP – Instituto de Estudo e Pesquisas Educacionais, também já foi adotado por centenas de faculdades e centros universitários particulares em substituição ao tradicional vestibular.
Nos últimos anos, a prova tem chamado a atenção inclusive de outros países, como Portugal, onde aproximadamente 20 universidades já o adotaram como ferramenta de acesso. Há outros paísesestudando esta possibilidade.
Por todos estes motivos, 6,1milhões de pessoas se inscreveram para participar este ano. No primeiro dia, eles terão 5h30 para responder 90 questões de múltipla escolha nas áreas de Linguagens e Códigos; Ciências Humanas e suas Tecnologias mais a Redação.E no segundo domingo de prova, serão mais 90 questões de Matemática e Ciências da Natureza com 4h30 de duração.
A prova toda soma 2 mil pontos. Somente a questão de Redação vale 1 mil pontos. Daí a ansiedade/necessidade do candidato de se sair bem especificamente nesta parte. E é sobre ela que quero tratar com o objetivo de ajudar os candidatos.
A prova de Redação do Enem pede o modelo dissertativo-argumentativo a partir de um tema atual que abrange toda a sociedade. Geralmente, é um assunto polêmico sobre o qual os brasileiros precisam exercer a cidadania.
O respeito aos Direitos Humanos é uma exigência do Enem e o desrespeito a eles tem sido o motivo mais frequente das notas zero. Por este motivo o candidato precisa ter em mente que deve respeitar a dignidade humana, reconhecer e valorizar as diferenças, assegurar a liberdade e a democracia, defender a sustentabilidade, entre outros fatores que promovam uma sociedade mais justa.
Na hora da elaboração do texto, é importante que o candidato apresente, já na primeira parte, o tema que será tratado e sua posição/opinião sobre o assunto, lembrando que é muito comum haver um direcionamento neste momento. 
Por exemplo, em um dos temas aplicados no ano passado, “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”, os candidatos deveriam entender que era vital combater a intolerância. Ninguém poderia defender que uma religião é melhor do que a outra. Por isso se diz que há um encaminhamento.
Na segunda parte do texto, é importante argumentar, provar que a ideia defendida na tese faz sentido e foi construída por meio do raciocínio lógico. Há várias maneiras de provar uma ideia e todas são válidas, pode ser por meio de números, fatos, exemplos, comparações, citações, analogias, entre tantos outros. O importante é não apenas expor ideias, mas discuti-las.
Nesta etapa, o candidato pode contar com a ajuda da coletânea de textos da proposta. É proibido copiar os dados, mas ele pode, sim, interpretar as informações. Mas é essencial que na argumentação também existam argumentos construídos pelo próprio repertório do autor, de preferência com o que ele aprendeu em outras disciplinas (multidisciplinaridade) ou com seu conhecimento de mundo por meio de livros e filmes.
Na última etapa, a conclusão, a prova do Enem exige que o candidato construa intervenção ou intervenções para minimizar ou solucionar o problema discutido. Esta etapa talvez seja a mais importante. Espera-se do candidato que ele conheça o problema, argumente sobre ele e tenha condições de oferecer ajuda para resolvê-lo.
Estas intervenções devem ser originais e executáveis. Ao serem escritas, é preciso descrevê-las com detalhes, informando qual será a ação a ser desenvolvida, quem a realizará e como ela deverá ser feita. 
Por último, vale destacar que todo o texto deve ser escrito na língua formal e a quantidade máxima de linhas é 30. O candidato precisa se preocupar com a estética do texto respeitando as margens, fazendo parágrafos e escrevendo com letra legível. Boa prova a todos!

Ayne Regina Gonçalves Salviano 
(é gestora do Damásio Educacional Araçatuba. Jornalista, professora, mestre em Comunicação e Semiótica. Leitora do Jornal de Jales há 40 anos.)