jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Nova Praça Dr. Euphly Jalles deve custar mais de R$ 2 milhões, avalia prefeito

por Luiz Ramires
11 de fevereiro de 2018
Parte da equipe responsável pelos projetos da Praça Dr. Euphly Jalles e Casa de Passagem, durante homenagem na Prefeitura
O projeto de revitalização da Praça Dr. Euphly Jalles foi apresentado ao prefeito Flávio Prandi Franco no dia 6 de fevereiro, terça-feira quando foram homenageadas as arquitetas responsáveis pelo mesmo, junto com outras profissionais de arquitetura que realizaram um trabalho de reestruturação dos espaços físicos e adequação da Casa de Passagem, mantida pelo Coreca (Consórcio Intermunicipal de Direitos da Criança e do Adolescente do Noroeste Paulista), que atende crianças e adolescentes em condições de risco. 
Segundo as arquitetas que elaboraram o projeto da praça, o mesmo foi planejado depois de ouvir a população, quando ficou evidente que uma das referências é a fonte, que será mantida. A nova praça deverá contar com reestruturação do bolsão dos ônibus, estacionamento para motos, sanitários reformados, trailers padronizados para os lancheiros, brinquedos, palco com camarim, piso novo de concreto armado para deficientes, nova iluminação e outras inovações.
O prefeito Flá disse que agora o projeto entra na fase de busca de recursos junto a parlamentares, que ele disse que começaria imediatamente, junto com o vice-prefeito José Devanir Rodrigues (Garça). Para isso ele já tinha audiências encaminhadas para apresentar o projeto, que tem um custo estimado em mais de R$ 2 milhões. O prefeito também destacou a importância do trabalho voluntário realizado tanto pelas arquitetas que fizeram o projeto da praça quanto pelas outras arquitetas que realizaram a revitalização da Casa de Passagem.

TRABALHO VOLUNTÁRIO 
O secretário de Planejamento Nilton Suetugo lembrou que trabalho começou em meados do ano passado, com a iniciativa das arquitetas Marta Pádua Franco, Daniela Alvizi Amaral e Fabiana Toyoda Scandelai de elaborar o projeto da praça.
No caso da Casa de Passagem o secretário lembrou que algumas arquitetas do grupo já trabalhavam como voluntárias naquele local o que deu origem à ideia de sua reformulação, coordenada por Mary Malagó, que contou com suas colegas Marília Pupim, Fernanda Vialle, Luiza Mariane e Pamela Barbieri, além das três que elaboraram o projeto da praça, junto com Antônio Américo da Silva Júnior e Edson David.
Essa forma de trabalho voluntário, como afirmou o secretário, é importante porque a Prefeitura não tem condições de manter uma equipe suficiente para montar esses e outros projetos. Isso faz com que outros profissionais também se disponham a colaborar nesse sentido.