jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Neymar é aprendiz de feiticeiro

por Fábio Fiorani
09 de junho de 2019
Fábio Fiorani
O assunto da semana foi a catastrófica fornicação europeia do jogador Neymar. E segundo teria dito um afamado militante do ramo de automóveis, cujo apelido remete a um subproduto do petróleo, o Neymar se acha muito garanhão, mas é um inocente. Um aprendiz de feiticeiro. Háháhá. E olha que o autor desse comentário é um expert no ramo. Háháhá. Anos de luta das feministas e afins jogados no lixo por causa de uma amadora em pilantragem. A próxima vez que o Neymar for fazer sexo será como jogar sinuca com corda. Háháhá. E segundo o UOL, um exame de corpo de delito “não apontou lesões na genitália da suposta vítima”. Dizem que o ator pornô aposentado Kid Bengala teria dado boas gargalhadas quando leu essa notícia do UOL. Háháhá. 
Por falar nisso, o ex-atleta de alcova João de Deus voltou para a cadeia. E seu advogado protestou. Ele disse que não é possível que seu cliente tenha “home care” na cadeia, já que não existe “jail care”. Esse assunto é muito chato e sem graça. Eu só escrevi esse parágrafo para aproveitar os termos em inglês e ter uma desculpa para citar o CCAA. Háháhá. 
Encontrei um jeito de minhas filhas lavarem a louça sem reclamar. Basta mudar a senha do wi-fi e oferecer a senha nova em troca do serviço. Pensa num trabalho rápido e eficiente. Háháhá. 
E o Dia dos Namorados está chegando. E um amigo me disse que vai realizar a maior fantasia da esposa na cama. Vai colocar uma tomada na cabeceira da cama. Com entrada USB. Háháhá. 
E o PT já estaria preparando um grande comício com aquele ex-presidente que está preso para quando ele for solto. É bom não encomendar muitos panfletos e faixas. Háháhá.
E o STF autorizou a venda de subsidiárias de empresas estatais. São 88 no total. Vão encher oitenta e oito caçambas com cabides quebrados. Essas empresas só servem para serem exploradas pelos pilantras como cabides de emprego para correligionários. 
E a barragem de barão de Cocais (MG) continua firme e forte. Só por que as TVs têm câmeras espalhadas ao redor da dita cuja para filmar o rompimento de todos os angulas, agora ela não cai. Parece pirraça. Háháhá. Eu acho que tenho uma pontinha de psicopata na minha personalidade. Eu fico torcendo para desabar. Háháhá. Agora que sei que a população está fora de perigo, claro. 
Aliás, outro indicio dessa pontinha de psicopata que acho que tenho se mostra quando assisto aos jogos da Seleção Brasileira de Futebol. De uns tempos para cá eu fico torcendo contra. Háháhá. Nem gosto de assistir mais. Eu comemoro gols dos adversários. Credo! 
Por hoje é só. Tchau!´

Fábio Fiorani
(é coordenador pedagógico do CCAA de Jales)