jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Nem parece o Brasil

por Caroline Guzzo
01 de julho de 2018
Quanta saudade estava de escrever os artigos para meus amigos jalesenses e de toda região. Passou o casamento, lua de mel e voltei recheada de boas ideias para compartilhar com os leitores. 
Para começar, o título do texto é bem proposital aos sete dias em que estive na cidade de Gramado/RS, afinal, antes mesmo de viajar a imagem que me fizeram era de que lá nem parecia o nosso país, outro mundo. Exatamente isso que comprovei, assino embaixo, sabe por quê? Lá o Sistema Único de Saúde (SUS) é melhor do que atendimento particular. Tão sério, que o município disponibiliza transporte gratuito aos alunos até as escolas. Tem mais, a educação das pessoas, parecem que foram trazidas de algum lugar desconhecido (rs). 
Não quero desmerecer os outros municípios, mas parece surreal o que a gente vê. Tudo funcionando, não vi um morador de rua perambulando por Gramado. Nenhum tipo de violência, não é por menos que segundo os moradores a delegacia nem abre aos fins de semana. Cachorro na rua, vi um só, mas acho que tinha fugido de alguma casa. Chegaram a me relatar que o trabalho realizado pela prefeitura é incrível e que qualquer anormalidade logo o órgão responsável é chamado para resolver. 
Em outra cidade chamada Nova Petrópolis, localizada a 35km de Gramado, a realidade também é bem diferente da que estamos habituados. As escolas públicas ensinam alemão aos alunos para manter a cultura, pois 90% da população é formada por descendentes de alemães. 
Mas, o Sul não só cultiva apenas coisas boas, infelizmente a capital, Porto Alegre, localizada a 120km de Gramado, que deveria ser exemplo, apresenta uma realidade bem diferente. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Cidade Segura e divulgada esse ano aponta que 77% dos moradores da capital gaúcha não saem à noite por medo de serem vítimas de crimes, que 82,5% dos porto-alegrenses consideram a cidade bastante violenta e ainda do total dos entrevistados 35% já tiveram algum objeto furtado. 
Mas, voltando a paz de Gramado, fiquei impressionada com o calor humano, o orgulho da cultura e tradição gaúcha. A cidade possui cerca de 35 mil habitantes e a maior parte de sua economia é voltada ao turismo. A demografia é bem diversificada, tendo forte influência alemã e italiana, o que se reflete especialmente na culinária e na arquitetura urbana e rural. 
Apesar de tanta beleza em um único lugar, Gramado é uma cidade de alto custo, para comer bem e passear precisa-se de investimento, porém cada centavo vale muito a pena.

Caroline Guzzo
(jornalista jalesense, radicada em Uberlândia/MG)

BLOG DA CAROL: https://carolguzzo.blogspot.com/