jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Muito humor e recordações no reencontro dos ex-alunos da Escola Vocacional de Jales

por Luiz Ramires
29 de abril de 2018
Parte do grupo de ex-alunos, durante encontro na Escola Vocacional
Uma grande confraternização, com direito a emoção, saudades e muito humor lembrando as brincadeiras da época, marcou os 50 anos da Escola Vocacional, comemorados por cerca de 50 ex-alunos que participaram de um almoço com seus familiares, naquele local, no dia 23 de abril, domingo. 
Eles foram recebidos com uma missa celebrada pelo bispo emérito Dom Demétrio Valentini e pelo padre Antônio Sardinha, vigário-geral da Diocese de Jales que conhecia vários participantes do encontro que chegou a considerar como histórico por rememorar a infância dos participantes, quando o local onde está a escola era praticamente uma área rural.

FORMAÇÃO
O padre destacou a formação humana e profissional de todos os que passaram pela Vocacional, na época dirigida pelo padre Emanuel Vander Stoppen. A maioria dos ex-alunos era formada por adolescentes vindos das pequenas comunidades da região, a convite do padre José Jansen e outros, para que pudessem continuar seus estudos além do curso primário, sendo que alguns chegaram a se tornar padres.
O empresário José Magalhães Rocha, um dos organizadores disse que ele próprio ajudou organizar outros encontros, quase que anualmente, mas nunca dessa forma, convidando todos os ex-alunos que puderam ser localizados. Reencontrar colegas do período em que tinha 11, 12 e 13 anos de idade é uma sensação que não tem preço, mesmo porque a Escola Vocacional teve influência decisiva na sua formação, como ele já havia afirmado durante entrevista ao Jornal de Jales na edição de 18 de março e que fez questão de relembrar.

ARTICULAÇÃO
O articulador do encontro foi Raimundo Tomé que também destacou os outros encontros menores, até setembro do ano passado, quando teve a ideia de comemorar os 50 anos da escola, junto com Chiqueto, outro ex-aluno, durante uma tarde no apartamento deste, em São Paulo. Rapidamente começaram a manter contato com mais de 50 ex-alunos que foram aderindo até definirem a data.
O grupo foi aumentando, com outras pessoas sendo lembradas e convidadas para participar, mas como sempre acontece nessas ocasiões, algumas não puderam comparecer. Raimundo espera reencontrar todos os que participaram e os que não puderam estar presentes, em um próximo encontro, que como afirmou, logo começará a ser articulado. Enquanto isso, continuam se comunicando pelas redes sociais.