jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

MPF em Jales cobra Elektro sobre falta de energia em unidades de saúde já concluídas

Procuradoria quer saber por que a concessionária ainda não providenciou o fornecimento de luz aos prédios
03 de setembro de 2017
O Ministério Público Federal em Jales aguarda que a concessionária Elektro explique por que ainda não providenciou a ligação de energia elétrica em duas unidades de saúde no município. A falta de luz seria o motivo pelo qual os centros de Estratégia de Saúde da Família (ESF’s) “Zilda Arns Neuman”, no bairro Novo Mundo, “Luís Ernesto Sandi Mori”, na Cohab JACB II, seguem desativados, apesar de as obras terem sido concluídas em dezembro do ano passado.
As ESF’s foram construídas com recursos federais e tiveram um custo de aproximadamente R$ 600 mil cada. O atraso no início do funcionamento é investigado pelo MPF desde junho, quando a Procuradoria instaurou um procedimento para saber de quem é a responsabilidade pelo problema. Uma terceira ESF, a “Ozil Joaquim Rezende”, no Jardim Municipal, também é alvo da apuração. Cobrada pelo MPF, a Secretaria de Saúde de Jales informou que a unidade já está atendendo a população, também após demora na ligação da energia pela Elektro.
Diante da confirmação de que as outras duas ESF’s ainda estão sem luz, apesar das solicitações da Prefeitura à concessionária para a realização do serviço, o MPF enviou ofícios à empresa para que justifique o atraso. A Procuradoria aguarda também que o Executivo Municipal comunique o início do funcionamento das unidades, assim que as pendências forem solucionadas.
“É função institucional do MPF zelar pelos serviços de relevância pública de saúde, cujos direitos estão assegurados na Constituição Federal”, destaca o procurador da República José Rubens Plates, responsável pelo procedimento.

*Assessoria de Comunicação