jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Ministério Público apura agressão a inspetor de escola em Pontalinda

por Luiz Ramires
18 de dezembro de 2017
A agressão foi filmada por uma câmera de segurança instalada na escola
A notícia da agressão de um inspetor da Escola Estadual Zélia Lourdes Zacarelli, de Pontalinda, por um aluno, mais uma vez chama a atenção para o problema cada vez mais grave do comportamento dos estudantes em relação aos professores e equipe de colaboradores das escolas. 
O estudante de 15 anos foi filmado por câmeras de segurança quando dava uma “voadora” no inspetor. O caso foi registrado na Polícia Civil pelo inspetor que informou ter retirado o estudante da classe por que estava atrapalhando a aula. O rapaz teria ficado nervoso e discutido com o inspetor e acabou agredindo o mesmo, quando este já se retirava do local, como mostram as imagens.
Os policiais que atenderam a ocorrência informaram que o inspetor sofreu ferimento e teve que receber atendimento médico. Ainda segundo a polícia, todos os envolvidos serão ouvidos para que o caso seja encaminhado ao Ministério Público.

PROVIDÊNCIAS
O caso ocorreu na quarta-feira, dia 6 de dezembro, mas só foi divulgado alguns dias depois, quando a Diretoria de Ensino informou que já tinha tomado todas as providências exigidas para situações como esta. 
A dirigente de Ensino, Marlene Jacomassi disse ao Jornal de Jales que além de chamar a mãe do aluno, a escola acionou o Conselho Tutelar e convocou uma reunião do Conselho da Escola, que decidiu pela suspensão do aluno por 10 dias e pelo afastamento temporário do funcionário que depois de registrar Boletim de Ocorrência passou por exame de corpo de delito para confirmar a agressão.

TRANQUILIDADE
Marlene destaca que a área atendida pela Diretoria de Ensino de Jales é bastante tranquila, em relação a outras regiões. Apenas outro caso de agressão física com registro de BO foi constatado até agora e aconteceu na Escola Estadual Sueli da Silveira, do Jardim Arapuã, há três anos, quando um aluno agrediu a vice-diretora e segundo a dirigente, também foram tomadas todas as providências. Já os casos de indisciplina são mais comuns, mas também dentro do que se pode considerar como normal.
No caso de Pontalinda, Marlene informou que o rapaz já havia cumprido medidas socioeducativas na escola, nos finais de semana, dentro das atividades desenvolvidas pelo programa Escola da Família.