jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Mestres de capoeira homenageados em Jales

por Luiz Ramires
23 de junho de 2019
Cerca de 230 capoeiristas, sendo 22 mestres, de 34 cidades e três estados, estiveram em Jales para participar do “I Encontro Meu Mestre é História Viva”, realizado no dia 8 de junho, no Centro Cultural, tendo como entrada apenas um quilo de alimentos não perecíveis que foram doados ao Centro Social
Cerca de 230 capoeiristas, sendo 22 mestres, de 34 cidades e três estados, estiveram em Jales para participar do “I Encontro Meu Mestre é História Viva”, realizado no dia 8 de junho, no Centro Cultural, tendo como entrada apenas um quilo de alimentos não perecíveis que foram doados ao Centro Social de Solidariedade do município. O encontro foi seguido de um jantar de confraternização no Lions Clube.
O evento teve como principal finalidade resgatar e valorizar a importância do mestre de capoeira, por tudo o que faz ou fez pela sociedade e pelo esporte, com uma homenagem ainda em vida a essas dedicadas lideranças esportivas, pois como afirma o sub-título do evento, “A grandeza do mestre está na sua história”, explanou o organizador Osvaldo Paz Landim Filho. 
Ele explica que as pessoas que conhecem sabem muito bem como o mestre de capoeira é fundamental para as novas gerações, formando cidadãos conscientes, atletas e pessoas de caráter, procurando construir uma sociedade mais justa e com mais respeito à cidadania.

HOMENAGEADOS
Vários mestres homenageados ainda estão na ativa, outros estão parados e outros enfrentam dificuldades, inclusive financeira, por falta de atividade e um encontro como este é importante para mostrar que eles têm valor pelo que representam com o seu trabalho e as suas orientações. 
Osvaldo afirma que pratica capoeira desde 1981 e continua em atividade, participando do grupo Mareja, que tem sede em Campinas e grupos em várias cidades. Ele agradece o apoio que recebeu de empresários jalesenses para a realização do evento que sem essa colaboração seria impossível de ser realizado, pois é um esporte que não conta com apoio oficial. “Sem o apoio da comunidade e das empresas, a capoeira seria um esporte praticamente extinto”, afirmou.
Osvaldo pede para que a sociedade e as empresas continuem colaborando para a realização de eventos voltados para a prática da capoeira, para a continuação desse esporte, promovendo novos encontros, divulgando a cidade e fomentando vários segmentos do comércio e de serviços, além de incentivar a cultura, respeitando e honrando os velhos mestres.
 O encontro contou com o apoio das empresas Zap Lanternas, Palácios Bar, RD Alarmes, Art’s Joias, LH BOr e do vereador Bismark Kuwakino (PSDB).