jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Mariela conta como está se transformando em Matheus

por Luiz Ramires
03 de fevereiro de 2019
As imagens do arquivo pessoal mostram a transformação de mulher para homem
Em 11 capítulos no Instagram, Mariela Paula Rodrigues, de 29 anos que adotou o nome social de Matheus Rodrigues vai contando sua trajetória, desde quando começou se sentir diferente, querendo usar roupas masculinas por se sentir desconfortável como mulher, até se descobrir como transgênero.
Os posts incluem a primeira consulta à psicóloga, ao endocrinologista e várias outras situações. O objetivo, como afirmou, é conscientizar os trans a buscar a forma correta de fazer a transição sob orientação de psicólogo e endocrinologista, pois muitos, como afirmou, fazem por conta própria e acabam tendo problemas.
Em entrevista na redação do Jornal de Jales, ela afirma que a maioria dos casos é de homens que procuram se assumir como mulheres, mas só em Jales conhece pelo menos três ou quatro em condições como a sua: de mulher querendo ser homem.
Em um dos capítulos no Instagram, narra como foi contar sua situação para seus pais que acabaram aceitando e dando apoio, mas afirma que normalmente não é bem assim, pois os pais, na maioria das vezes não aceitam e acabam levando a pessoa a romper com a família e até se mudar da cidade, como aconteceu com a maioria dessas que ela conheceu.
O acompanhamento da psicóloga continua, enquanto se prepara para fazer a cirurgia que é a última etapa e só pode ser realizada depois de receber o laudo psicológico e fazer aplicações de testosterona feitas pelo endocrinologista, para em seguida fazer exercícios específicos em uma academia.
Por enquanto ela afirma que não sofreu qualquer tipo de discriminação, mas não sabe como var ser quando começar a se transformar, recebendo os hormônios masculinos, quando a mudança passa a ser mais visível, embora já se vista como homem. 
Ela explica que vem fazendo essa mudança aos poucos e as pessoas que a conhecem vão se acostumando. Para mostrar isso, postou várias fotos tipo antes e depois, quando se vestia como mulher e agora, como homem.
Mariela afirma que sempre se sentiu diferente, só que quando era criança e adolescente quase não se ouvia falar em transição. Essa percepção ela narra em um dos episódios postados, lembrando que através das redes sociais foi descobrindo que seu caso não era de homossexual, mas de transgênero, que é completamente diferente, pois é uma situação que acontece quando a pessoa não se identifica com o corpo masculino ou feminino que tem e passa a querer mudar.

O QUE É
Transexualidade refere-se à condição do indivíduo cuja identidade de gênero difere daquela designada no nascimento e que procura fazer a transição para o gênero oposto através de intervenção médica,podendo ser redesignação sexual ou apenas feminilização/masculinização dependendo do gênero a ser transicionado (administração de hormônios e cirurgia de redesignação sexual).

APOIO OFICIAL
De acordo com nota publicada pela jornalista Mônica Bérgamo (Folha de S.Paulo/ Band News), a Secretaria de Estado da Saúde quer reunir relatos de experiências vividas por travestis, transexuais e outras pessoas que se identifiquem como trans. Os textos podem ser de humor, drama e fixação.  A pasta lançou na última sexta-feira, dia 1° de fevereiro, um edital que cria o concurso que selecionará doze trabalhos para integrar uma publicação que será distribuída pela secretaria.