jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

MARCOS SILVÉRIO

Minhas palestras são de auto-ajuda, pois as pessoas querem ser ajudadas
13 de novembro de 2016
Marcos Silvério: Só vendo porque ajudo as pessoas realizarem o que desejam
Focado principalmente em vendas, o professor universitário e orador Marcos Silvério vem se destacando com palestras realizadas não só na região, mas em várias localidades do estado e do país, pelo seu caráter motivacional e otimista. Nesta entrevista ao Jornal de Jales ele destaca o método “Bata a Meta Todo Dia e Venda Muito Mais”, desenvolvido com o Instituto Gente, de Roberto Shinyashiki. Formado em Administração de Empresas; Especialista em Marketing, Comunicação e Propaganda (INBRAPE); Mestre em Engenharia da Produção  com  Ênfase em Estratégia Empresarial (UNIMEP), Marcos afirma que suas palestras são totalmente de auto-ajuda, pois as pessoas querem ser ajudadas e ninguém compra nada nessa área se não for para ajudar em alguma coisa. (L.R.)

J.J. - Como o público tem recebido suas palestras que tem alto caráter motivacional nesses momentos de crise?
Marcos - Tem recebido muito bem “graças a Deus”. As pessoas são muito acolhedoras e generosas de um modo geral. Sinto que elas gostam muito de ouvir mensagens de otimismo e positividade. Sempre recebem bem.

J.J. - Qual tem sido o público alvo das suas palestras?
Marcos - Principalmente sou contratado por empresas, mas ministro palestras para todo e qualquer tipo de organização, instituições de ensino, prefeituras, autarquias, organização não governamentais, clubes de serviços, e outros. Toda palestra que eu ministro aborda conceitos motivacionais e comportamentais. Mas meu tema principal é vendas. Estratégias Poderosas para Vender Mais! Junto com o Instituto Gente do Roberto Shinyashiki desenvolvemos o método “Bata a Meta Todo Dia e Venda Muito Mais”! Assim, motivo toda e equipe e dou ferramentas funcionais para vender muito mais. 

J.J. Na sua avaliação o público está respondendo bem ou aquem da sua expectativa?
Marcos - Muito bem. Percebo que as pessoas não querem assistir palestras por si só, elas querem ouvir “receitas”, metodologias e formas de fazer as coisas acontecerem de verdade. Elas querem resolver os seus problemas, querem comprar informações para fazerem melhor e mais rápido. Costumo dizer que não vendo palestras, vendo solução de vendas. Que empresa ou organização que não precisa vender mais hoje em dia? Pensando desta maneira, monto palestras que oferecem soluções para as empresas e por isso avalio as pessoas muito recíprocas em participar e contratar.

J.J. - A palestra motivacional é melhor para o empresário ou para o empregado?
Marcos - Para os dois com certeza. Vivemos uma era de individualismo, maquinização e distanciamento das pessoas. Ouvir conceitos, relatos e mensagens que protagonizam o ser humano, ser gente e as relações na vida e na empresa faz muito bem para empresários e empregados. Os meus projetos de palestras, cursos e consultorias tem dado certo porque me preocupo muito em desenvolver um produto que se compromete em ajudar todos na organização. Se for bom só para um ou só para outro, logo não terá sustentabilidade ou longevidade. Tem que ser bom para os dois. 

J.J. - Você tem feito palestras fora de Jales, em São José do Rio Preto, Sertãozinho, Mogi das Cruzes os temas escolhidos tem sido bem recebidos?
Marcos - Maravilhosamente bem recebidos, pois sempre antes de preparar uma palestra faço o “breefing” e um bom diagnóstico das necessidades, desejos e pretensões do contratante para de fato entregar o que eles querem e se possível até superar suas expectativas. Todo palestrante de sucesso deve ter esse cuidado, senão acaba falando o que sabe, mas não atingindo o coração das pessoas. Precisamos falar o que as pessoas querem ou necessitam ouvir naquela ocasião. Esse é o segredo.

J.J. - Você considera fazer palestra motivacional algo tipo auto-ajuda?
Marcos - Sim, totalmente auto-ajuda. As pessoas precisam e querem muito ser ajudadas. Só vendo porque ajudo as pessoas realizarem o que desejam ou amenizarem suas dores e todos os demais produtos e serviços deveriam fazer o mesmo. Ninguém compra nada que não entende ajudar em alguma coisa. Esse nome virou clichê e caiu numa vala de “menos importantes” para os cientistas. Mas posso afirmar que no mercado de livros, palestras e programas variados de tv e internet, tudo que vende é “auto-ajuda”.

J.J. - Se lhe fosse dado começar de novo você seria professor, homem de comunicação ou palestrante?
Marcos - Faria tudo igual da mesma forma, começaria no rádio, depois docência, revista e palestrante. Entendo que um palestrante nasce de um processo de aprender a aprender e é principalmente fruto das suas experiências teórico e práticas. Tenho plena convicção que estou conseguindo fazer carreira de palestrante agora exatamente por causa da minha história de vida, do meu passado que me constitui como tal. 

J.J. - Você está fazendo estágio com Roberto Shinyashiki, tem alguma possibilidade de uma parceira entre você de Jales e ele que tem renome internacional?
Marcos - Tenho tido a alegria e satisfação de estar fazendo estágio com o mestre Roberto Shinyashiki e aprendendo muito com ele. Já conseguimos através do prefeito Walter Muller, de Santa Rita D’ Oeste (que também desenvolve projetos do Roberto Shinyashsiki) trazer um projeto social para região, “Conquiste Seus Alunos” para formação complementar pedagógica de mais de 200 professores da rede pública municipal e estadual de 09 cidades circunvizinhas. Tenho contato direto com o Instituto Gente do Roberto Shinyashiki e desenvolvemos projetos e atividades de estudo a distância. Acredito muito numa parceria de sucesso com ele na nossa região de Jales. Estou trabalhando muito para isso.