jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Lavagem de dinheiro é tema de palestra do presidente do CRECI-SP em Jales

por Luiz Ramires
04 de fevereiro de 2018
O presidente do CRECI-SP foi apresentado pela delegada municipal do conselho, Selma Marcandali
O presidente do CRECI-SP, José Augusto Viana Neto esteve na sede da Associação Comercial e Industrial de Jales no dia 31 de janeiro, quarta-feira, para falar sobre a lavagem de dinheiro e o futuro da profissão dos corretores de imóveis. Ele explicou que existe uma lei desde 1998 que obriga as imobiliárias a comunicarem as atitudes suspeitas ao Conselho de Controle de Operações Financeiras (COAF), ligado ao Ministério da Fazenda. Em 2012 a lei foi ampliada para pessoas físicas, envolvendo não só as imobiliárias, mas todos os segmentos incluídos na Lei de Lavagem de Dinheiro.
Todas as transações acima de R$ 100 mil e que tenham alguma característica suspeita como valor inferior ou superior ao que está sendo realizado ou quando há uma recompra de imóvel pelo proprietário, ou ainda quando o pagamento é em espécie, joias, carros de luxo, barcos, devem ser comunicadas no máximo 24 horas após a transação.
O número de comunicações vem aumentando com a conscientização dos corretores que temem ser arrolados, se alguma irregularidade for descoberta. Além disso, como afirmou, é preciso que todos colaborem para reduzir a corrupção e outros crimes como contrabando de drogas e armas no país.
Segundo a assessoria de imprensa do CRECI-SP, somente em 2017, os corretores de imóveis e imobiliárias de todo o País comunicaram a ocorrência de 2.257 transações feitas em espécie, além de 688 negócios suspeitos no segmento imobiliário. Em 2016, os números foram de 1.716 e 829, respectivamente.

COMPORTAMENTO
Na palestra em Jales, o presidente do CRECI-SP também falou sobre os avanços tecnológicos que estão sendo colocados à disposição dos corretores e do comportamento ético que precisa ser respeitado nesse segmento, para evitar desvios de conduta ou irregularidades como ocorrem também nas outras profissões.
Outra situação que precisa ser combatida, como afirmou, é o uso irregular do nome de fantasia por pessoa física que induz o consumidor a erros, além de cometer crime de falsidade ideológica.
A delegada municipal do CRECI, Selma Marcandali, da Selma Imóveis disse que o credenciamento dá melhores condições de trabalho para as imobiliárias e para os corretores que deixaram de ser autônomos e podem abrir suas empresas e ser reconhecidos, pois a maioria dos negócios é feita por eles que procuram fazer o melhor para o cliente, tanto nas vendas quanto nas locações.
Selma disse que para o mercado imobiliário de Jales não existe crise, pois sempre estão surgindo novos loteamentos e isso ajuda nas vendas, pois os compradores continuam investindo.