sexta 05 junho 2020
Cidade

Lar dos Velhinhos sai na frente na prevenção contra o coronavírus

Uma das primeiras entidades de Jales a se precaver contra o coronavírus foi o Lar dos Velhinhos São Vicente de Paulo que, desde 16 de março, uma semana antes do primeiro decreto do prefeito Flávio Prandi Franco com as medidas restritivas, já decidiu impedir as visitas de familiares.
Na sequência, os voluntários também tiveram que paralisar seus serviços, como os que trabalhavam na cozinha, a equipe do Bazar da Pechincha que abria às quartas-feiras, e da produção de pães que eram feitos às sextas-feiras.
Também foram interrompidas as atividades dos prestadores de serviços não essenciais, como das medidas sócio-educativas para os adolescentes com acompanhamento de servidores do Fórum Estadual e da Justiça Federal. 
Essas decisões foram tomadas pelo presidente do Lar, Alício Frassato, junto com o gerente administrativo Antônio Cláudio Francisco e devem durar enquanto não forem suspensas as determinações sobre o combate ao vírus.

INFORMAÇÕES
Uma medida importante foi uma reunião da equipe de enfermagem com o enfermeiro-chefe do Lar, Gustavo de Souza dos Santos que fez uma busca a pedido de Cláudio, nas redes sociais e na Vigilância Sanitária, juntou o material de divulgação e passou as informações sobre a rotina que deveria ser adotada quanto à assepsia das mãos e dos ambientes.
Outra reunião foi feita com os idosos, que receberam orientações quanto aos cuidados que devem manter, inclusive na distância entre um e outro, na limpeza e na permanência ao ar livre.

VACINAÇÃO
Gustavo também conseguiu levar a vacinação contra a gripe para os idosos e servidores que receberam suas doses na terça-feira, dia 24 de março, pois mesmo com a falta de vacinas acabaram um dia antes, as reservadas para o Lar estavam guardadas, pelo fato dos mesmos estarem no local, sem poderem se dirigir aos postos. 
O Lar dos Velhinhos conta com 62 idosos e 34 funcionários e por enquanto nenhum caso de suspeita de gripe ou de coronavírus foi registrado, pois os funcionários tomam todos os cuidados, mesmo porque o trabalho não pode ser interrompido.

DOAÇÕES
O material como máscaras, luvas e álcool gel, por enquanto não está faltando, mas segundo Cláudio isso preocupa e ele pede para quem tiver e quiser doar, que o faça, pois está difícil encontrar pois os preços estão um absurdo. Um litro de álcool gel, por exemplo, que ele pagava R$ 11,00 hoje não encontra e um vidro com 300 ml está custando R$ 20,00.
Cláudio também faz um apelo aos colaboradores do Lar para que continuem fazendo suas doações normalmente, inclusive recebendo bem  os garotos que estão indo nas residências, usando máscaras, álcool gel e tomando todo cuidado necessário.

Desenvolvido por Enzo Nagata