jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Jales Futsal vacila, leva empate no fim e se complica na Liga Paulista

por Lucas Rossafa
29 de maio de 2017
Equipe de Jales jogou bem, mas empatou em 3 a 3 com o Mogi da Cruzes
Em um campeonato tão equilibrado, no qual a vaga entre os quatro melhores da chave será definida nos detalhes e por uma diferença mínima de pontos, qualquer vacilo pode ser fatal. Ao que parece, esses erros devem penalizar o Jales Futsal na metade de julho, quando se encerra a primeira fase da Liga Paulista de Futsal (LPF).
Em jogo emocionante, com cinco bolas na trave e pênalti perdido, o Jacaré empatou em 3 a 3 com o Mogi das Cruzes, no Ginásio Municipal Antônio Ramon do Amaral, em Santa Fé do Sul, na noite da última quarta-feira, 24.

O jogo
O time de Jales começou pressionando e foi recompensado depois de 30 segundos, com finalização certeira de Japa. O ritmo frenético continuou e o goleiro visitante, Gabriel, foi obrigado a trabalhar. No primeiro tempo, foram sete chances claríssimas de gol desperdiçadas e uma bola na trave de Luiz Paulo Caetano.
Entretanto, como se sabe, quem não faz, toma. Aos poucos, os mogianos melhoraram a marcação e começaram a agredir. E não demorou muito para balançar as redes. Juninho arrancou pela esquerda, finalizou de canhota, a bola beijou o travessão e, segundo o árbitro, a bola ultrapassou a linha. Em seguida, após contra ataque mortal, Dasaiev virou para o Mogi. Antes do intervalo, porém, deu tempo para o time jalesense igualar o marcador. Kiko Frioli chutou de fora da área, a bola desviou na marcação e entrou.
Na etapa final, a tônica do Jacaré continuou a mesma: maior posse de bola, pressão no adversário e muitas chances perdidas, além de duas finalizações na trave. Kiko, mais uma vez, virou o placar e colocou Jales em vantagem. E a vitória poderia ter sido concretizada, se não fossem os vacilos fatais. Leonardo Pietrobom, um dos melhores da equipe na partida, sofreu pênalti. Responsável pela bola parada do time, Kiko chutou por cima. Para desespero dos pouco mais de 70 pagantes, alguns minutos depois, Alex teve a chance de fazer o quatro, mas isolou o tiro livre.
Nos últimos cinco minutos, o técnico de Mogi das Cruzes, Willer, colocou goleiro linha e foi recompensado. Restando um minuto e dois segundos, Rodrigo recebeu na direita, cortou a marcação e finalizou de canhota. O goleiro Melão chegou a tocar na bola, mas não evitou novo empate.

Pecado mortal
De acordo com as estatísticas da LPF, Jales finalizou 25 vezes (13 ao alvo) contra 19 do adversário. Todavia, as chances perdidas, sobretudo no começo do jogo, custaram caro.“Quando jogamos em casa, não podemos vacilar. Não há outra desculpa, precisamos trabalhar mais para corrigir os erros. Temos que melhorar as finalizações. Em jogo de alto nível, não podemos pecar”, lamentou o treinador Élcio de Souza Oliveira.
Autor de dois gols, o atleta Kikotambém buscou explicar o empatou. “Treinamos pênalti e tiro livre todos os dias. Futsal é detalhe, infelizmente. O primeiro turno não foi bom, precisamos buscar reverter o prejuízo a partir do próximo jogo. Só a vitória nos interessa, nosso time tem qualidade e vamos buscar os três pontos”.

Como fica?
A igualdade, contudo, não altera a posição das equipes na tabela. Os jalesenses seguem na sétima e última posição, com quatro pontos, enquanto os mogianos seguem em sexto, com cinco tentos e uma partida a menos em relação aos demais adversários.

O reencontro
Jales Futsal e Mogi das Cruzes voltam a se enfrentar pela primeira rodada do returno da Liga Paulista de Futsal no próximo sábado, 03 de junho. O duelo está marcado para as 19h30, no Ginásio Poliesportivo do Botujuru, em Mogi das Cruzes.
Por conta do alto custo, a delegação jalesense não se hospedará em solo mogiano. Segundo o presidente do time, Luiz Felipe Pietrobom Chiaparini, a viagem está prevista para iniciar às 7h. O elenco viaja aproximadamente 640km durante o dia todo e chega à Grande São Paulo horas antes da partida.

Fotos: Lucas Rossafa