jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Invencibilidade e liderança absoluta

Por Eduardo Martins
16 de junho de 2019
Eduardo Martins
Sete vitórias, um empate, nenhuma derrota, 17 gols marcados e apenas dois sofridos, esses são os números do Palmeiras no Brasileirão antes da parada para a Copa América. Líder isolado da competição, o time de Felipão apresenta bom futebol, passa por cima dos adversários e a cada dia se aproxima do segundo título nacional seguido, mesmo com o campeonato ainda no início.
A última vítima palmeirense foi o Avaí. Assim como muitas equipes montadas por Scolari ao longo da carreira, o time dificilmente perde pontos para adversários da parte de baixo da tabela e não foi diferente no confronto com os catarinenses: vitória incontestável por 2 a 0.
Com o elenco recheado de opções, o que permite a comissão técnica dar oportunidade a diversos jogadores e rodar o máximo possível, o clube tem a fórmula para vencer o Campeonato Brasileiro e isso é mérito da diretoria alviverde.
Alexandre Mattos já ganhou quatro títulos nacionais (dois com o Cruzeiro e dois com o Palmeiras) e sabe que um elenco com diversas opções facilita a vida de qualquer treinador, principalmente entre os meses de setembro e outubro, quando o campeonato entra na reta decisiva.
Anunciado na última quinta-feira como reforço, Ramires tem tudo para ser mais um acerto de Mattos e ajudar muito a equipe na busca pelos objetivos da temporada. Com a possibilidade de jogar como volante ou até mais avançado no meio-campo, o polivalente jogador de 32 anos ainda tem muita lenha para queimar e não deve encontrar dificuldades no futebol brasileiro.
Apesar das variadas opções na faixa central do campo, o ótimo elenco do Verdão ainda tem uma carência que precisa ser resolvida: o camisa 9. Borja não convence a comissão técnica, muito menos a torcida, Arthur Cabral ainda é muito jovem e não está preparado para ser titular, enquanto Deyverson é o dono da posição, muitas vezes uma boa alternativa, mas seu temperamento pode deixar a equipe na mão a qualquer momento.
A parada para a Copa América precisa ser vista pelo Palmeiras como um momento de recuperação das energias para a sequência da temporada, mas também para melhorar ainda mais a equipe. O título brasileiro tem tudo para se tornar uma realidade no final do ano, porém o maior desafio é conquistar a Libertadores e para isso o caminho é mais longo.

Eduardo Martins 
 (jalesense, aluno do 3° ano de jornalismo da PUC-Campinas)