jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

INSS se ajusta para reduzir atrasos em perícias médicas

Os atrasos relatados pelos beneficiários têm sido causados pela falta de médicos peritos em algumas agências.
11 de dezembro de 2017
Os atrasos em perícias têm sido provocados pela falta de médicos
O INSS deverá se manifestar no prazo de 10 dias sobre a situação de segurados que estão tendo que aguardar cerca de três meses para a realização de perícia médica na agência da previdência social em Jales. O prazo foi decidido durante reunião no Ministério Público Federal em Jales com representantes do instituto, no dia 6 de dezembro, quarta-feira. 
O gerente executivo do INSS em São José do Rio Preto, Bruno Veroneze Fernandes e a titular da agência de Jales, Simone Assoni Galviolli, informaram que o tempo médio de espera para a realização dos atendimentos na unidade é de 42 dias, o que contraria as informações fornecidas pelos segurados, segundo nota da assessoria de imprensa do MPF.

FALTA DE MÉDICOS  
Os atrasos relatados pelos beneficiários têm sido causados pela falta de médicos peritos em algumas agências. O próprio INSS reconhece que o contingente atualmente disponível está aquém da lotação adequada. Em Jales, por exemplo, existem apenas dois profissionais, quando o ideal seriam três. O mesmo acontece em Fernandópolis, onde há três médicos em vez dos quatro recomendados. A situação é ainda mais grave em General Salgado, cuja agência da previdência está sem médico perito há mais de cinco anos, o que obriga os beneficiários a buscarem atendimento em outros postos.
Questionado sobre o problema, o gerente executivo do INSS informou que o órgão central do instituto em Brasília negocia anualmente com o Ministério do Planejamento a reposição dos cargos vagos. Diante disso, a autarquia deverá encaminhar ao MPF, em até dez dias, documentos que comprovem tais tratativas para que a procuradoria averígue as medidas e posturas tomadas pela pasta quanto à reposição da vaga.


PROVIDÊNCIAS  
Já a agência de Santa Fé do Sul, que até então também não dispunha de nenhum médico perito, tem contado com a atuação de um profissional de Rio Preto, transferido provisoriamente. A remoção definitiva do servidor  já está sendo providenciada. Além desta, outra medida administrativa adotada pelo INSS para atenuar os atrasos das perícias foi a substituição da chefia da agência de Jales, visando melhorar a gestão do atendimento.