Fique Sabendo

INIMIGO...- Embora a Central de Polícia Judiciária, na avenida João Amadeu, onde funcionam o plantão e as delegacias especializadas, seja a porta de entrada da Polícia Civil..

INIMIGO...- Embora a Central de Polícia Judiciária, na avenida João Amadeu, onde funcionam o plantão e as delegacias especializadas, seja a porta de entrada da Polícia Civil, a Covid-19 , surpreendentemente, atacou um espaço improvável —a sede da Delegacia Seccional de Polícia, na Rua Cinco, que cuida apenas da parte administrativa, sem contato com o público. Nada menos do que seis policiais civis que trabalham no prédio da Seccional testaram positivo para coronavírus e tiveram que cumprir quarentena.

...INVISÍVEL – O que deixou o chefe da Polícia Civil da microrregião, Charles Whiston de Oliveira, ainda mais ensimesmado foi o fato de que em todas as demais 29 delegacias localizadas nos 22 municípios abrangidos pela Seccional não houve nenhum outro caso de contaminação. Nem mesmo dos investigadores que conduziram um menor apreendido em Jales e dos carcereiros que lidaram com ele na cadeia de Santa Fé do Sul, antes de ser levado para a Fundação Casa, em São José do Rio Preto, onde se constatou que o adolescente tinha Covid-19.   

CAUTELA – Diante do que ocorreu, o delegado seccional não deu sopa para o azar, providenciando a sanitização da Seccional e da Central de Polícia Judiciária em Jales, bem como da estrutura de Santa Fé do Sul, aí incluídas as delegacias de plantão e da mulher e a cadeia.  

 LINHA DE FRENTE – A propósito, a Covid-19 não poupa ninguém. Em Jales, por exemplo, 57 profissionais de saúde, incluindo os da rede municipal, Santa Casa, Hospital de Amor e UPA, já foram atacados pelo vírus e tiveram que cumprir isolamento domiciliar. Segundo a secretária municipal Maria Aparecida Moreira Martins, depois de recuperados, todos retornaram para a linha de frente.  

CORPO-A-CORPO –A propósito, ontem, 18 de junho, servidores da Secretaria Municipal de Saúde saíram a campo para mais uma ação de enfrentamento ao coronavírus. Desta vez, divididas em quatro duplas e devidamente paramentadas com Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), as profissionais de saúde programaram percorrer o quadrilátero central comercial e também a Feira do Produtor (Comboio), medindo a temperatura dos passantes e orientando-os sobre sinais que possam caracterizar a presença do vírus.  

BARREIRA – Justiça seja feita, o time da Saúde municipal está passando verdadeiro arrastão nas entradas e saídas da cidade. A primeira barreira sanitária montada foi no feriado de Corpus Christie, quando foram abordadas 4.785 pessoas. No sábado, 4 de julho, nova ação preventiva do time abordando 3.385 pessoas.

PAJELANÇA – O presidente Jair Bolsonaro não perdeu a oportunidade. Como todos viram, assim que anunciou de viva voz que tinha sido contaminado pela Covid-19, ele aproveitou a primeira live pós-testagem para tomar um comprimido de hidroxicloroquina, o que encantou seus seguidores. E, como não quer nada, deu uma espetada nos críticos dizendo que estava se tratando com aquele medicamento por recomendação da equipe médica que o assiste.

SELVA – Se cloroquina cura ou não cura coronavírus ninguém sabe. Mas, como esta coluna já registrou (J.J. – 19/04/20), o remédio é ótimo para malária. Que o diga o dermatologista Osvaldo Gurian, atual gerente médico do AME. Com o curso de medicina recém-concluído na Universidade Federal do Amazonas, nos anos 70, ele foi convocado para servir no 5º Batalhão de Engenharia e Construção do Exército, em Rondônia. Como os treinamentos eram realizados na selva, ele pegou duas malárias. E foi tratado com cloroquina nas duas vezes. Detalhe: segundo ele, sem sentir efeitos colaterais. Gurian deixou o Exército como 2º tenente médico.

NA BOCA DO POVO – A pauta ambiental dominou o noticiário durante a semana que passou por conta da reunião do general Hamilton Mourão, vice-presidente da República e comandante do Conselho da Amazônia, com empresários pesos-pesados preocupados com a imagem do Brasil no exterior em razão de desmatamento e queimadas.

PIONEIRISMO – Por feliz coincidência, no último domingo, dia 12 de julho, uma empresa de Jales completou 25 anos de atuação no mercado —a Tresspol. O foco da empresa jalesense tem tudo a ver com a preservação do meio ambiente, como observou a professora Silvaine Pretto Ferreira em suas páginas nas redes sociais. Ela lembrou que materiais como revistas, papelão, folders, folhetos, tudo isso é reciclado e transformado em bandejas para acondicionar ovos, que chegam às casas coloridas e limpas. Também as árvores que, depois de sua vida útil (mangueiras, laranjeiras) são incineradas para alimentar os fornos. A professora acrescentou ainda que a água utilizada é devolvida limpa para a natureza. Todo esse processo de respeito ao meio ambiente resulta em visitas de alunos de escolas, futuros cidadãos. Os sócios-fundadores da empresa foram Sebastião Junior Ferreira, Delson Luiz Ferreira e Perci Alves de Souza.

Desenvolvido por Enzo Nagata