jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Índios Terenas e Kaingang visitam alunos do Anglo de Jales

por Daniel Zilio
22 de abril de 2018
Os índios trouxeram da Aldeia Icatu um pouco da cultura que deu origem ao país
O dia dos mais antigos moradores do Brasil, os indígenas, é comemorado em 19 de abril. Para celebrar de forma educativa, o Anglo de Jales, através da coordenadora pedagógica, Daisy Aparecida Romagnolli de Moraes Andrade, recebeu, na sexta-feira, dia 13 de abril, a visita dos índios Terenas e Kaingang, da Aldeia Icatu, de Braúna-SP, que trouxeram para os alunos um pouco da cultura que deu origem ao país.
Os 50 índios apresentaram alguns de seus rituais, danças e cantos para os alunos e conversaram sobre como é viver em uma aldeia. Também compartilhando um pouco de suas sabedorias e experiências. 
Para finalizar, alguns objetos confeccionados por eles foram vendidos aos alunos para guardarem de lembrança de um momento tão especial e significativo em sua aprendizagem.
“O projeto “Se a escola não vai à aldeia, a aldeia vem até a escola” foi cuidadosamente elaborado com o objetivo de dar profundidade à comemoração e romper com estereótipos culturais que acabam desfavorecendo a construção de conhecimentos sobre a diversidade de realidades sociais, geográficas e históricas. Além disso, nosso projeto veio de encontro à Lei 11.465/08, que inclui no currículo oficial a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Com a vinda da Aldeia Icatu, nossos alunos tiveram a valiosa oportunidade de refletir sobre a noção equivocada de que todos possuem os mesmos hábitos e costumes, que vestem-se com tangas e penas de aves, pintam o rosto, moram em ocas, alimentam-se de mandioca. Foi indubitavelmente um dia inesquecível, com a certeza do dever cumprido, pois nossos alunos compreenderam o que realmente importa: saber a história de uma nação indígena significa resgatar e preservar a tradição bem como reconhecer que a influência desse povo se faz muito presente no nosso dia a dia e na nossa própria identidade”, disse a coordenadora e idealizadora do projeto Daisy Romagnolli.