jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Incêndio no Museu Nacional é culpa do Lula

por Fábio Fiorani
09 de setembro de 2018
E o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, pegou fogo. Agora virou tragédia nacional. Hipocrisia pura. Ninguém visitava aquilo. Muito mais brasileiros visitaram o Museu do Louvre, em Paris, do que o Museu Nacional. Agora vai aparecer um monte de “órgãos” e ONGs para reivindicar verbas. E roubar, claro. E se o museu era administrado pela UFRJ, cuja reitoria é comandada pelo PSOL, puxadinho do PT, então a culpa do incêndio é do Lula, claro. Háháhá. Boa oportunidade para o Bolsonaro defender o porte de armas de fogo, afinal, fogo se combate com fogo. Háháhá. 
E parece que alguém vai precisar enfrentar o Bolsonaro no segundo turno das eleições presidenciais desse ano. E se continuarem a deixar de bandeja para ele oportunidades para que esse senhor critique temas como “ideologia de gênero” e “porte de armas para todos”, vai ser difícil derrotar o cara. O discurso fácil criticando a desconstrução dos conceitos de família e o combate à violência matando bandidos, são bem recebidos por grande parte da população. 
E o melhor candidato a deputado estadual vai tentar uma vaga na assembleia de Goiás. Nome do candidato: Alceu Dispor. Háháhá. Pior é que é verdade. Háháhá. 
E nossa cidade terá um sistema de zona Azul Digital. Vixi! Agora vai sobrar vagas para estacionar no centro da cidade. Se sair metade dos carros dos comerciantes, funcionários de lojas e bancos que ficam parados o dia todo, as ruas do centro ficarão vazias como nos feriados. Háháhá. A Rua 8 entre a Rua 13 e a Avenida Francisco Jalles, por exemplo, deve ter apenas umas três vagas rotativas. O resto fica ocupado o dia todo pelos mesmos carros. 
Aliás, a implantação da Zona Azul em Jales repercutiu entre os presidenciáveis. Marina Silva destacou a importância da diminuição da emissão de gás carbônico na atmosfera. Ciro Gomes disse que já implantou sistema parecido no Ceará e que vai levar esse formato para todo o país. Alckmin garantiu que, com iniciativas como ess, ele aumentou em 45% a oferta de vagas em São Paulo. Cabo Daciolo garantiu que, se Moisés abriu o Mar vermelho, ele também poderia abrir vagas para estacionamento em todo país, afinal, Jesus tem poder. Bolsonaro, claro, disse que todo cidadão tem direito a uma vaga para estacionar. Se algum motorista começar a demorar para sair com seu carro, é só tirá-lo na bala. Háháhá. 
E acabou. Finalmente o país se livrou do maior pilantra que a política já produziu nesse planeta. Aquele vagabundo só poderá ser candidato novamente quando estiver próximo dos noventa anos de idade. 
Um catador de latinhas de alumínio no Rio e Janeiro não pode reclamar da crise. O rapaz está ficando rico. É que ele parou de recolher latas nas ruas e passou a recolher cápsulas de revolveres e de fuzis para vender por quilo. Vai ficar milionário. Háháhá. 

Por hoje é só. Tchau!