Arquibancada

Há vida sem Dudu?

Maior ídolo recente do Palmeiras desde a era Paulo Nobre, Dudu está próximo de ser negociado com o Al Duhail, do Catar, e deve deixar o Alviverde após cinco anos e meio. Líder da equipe e referência técnica dentro de campo, o camisa 7 se tornou o grande ídolo do Verdão nas últimas temporadas e fez história no clube.

Contratado em 2015 junto ao Dínamo de Kiev, da Ucrânia, depois de boa passagem pelo Grêmio, o atacante chegou ao Palmeiras em um momento que a equipe queria voltar a conquistar títulos. Com investimento pesado de Paulo Nobre e da patrocinadora Crefisa, o clube conquistou a Copa do Brasil no mesmo ano, Dudu marcou dois gols na final e esse momento marcou o início do surgimento do novo ídolo alviverde.

No ano seguinte, foi o momento de o Verdão confirmar o domínio do futebol nacional, conquistar o Campeonato Brasileiro, e o camisa 7 formou brilhante dupla com Gabriel Jesus. Após isso, o atacante teve boas atuações em 2017, foi fundamental em 2018 na conquista de mais um título brasileiro, agora com Felipão, e também se apresentou bem em 2019.

A saída do jogador representa a perda da referência para uma equipe que tem como objetivo brigar por títulos com o Flamengo. Nesta temporada, sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, Dudu começou a jogar de forma diferente, atuando como meia ou segundo atacante, atrás de Luiz Adriano e ao lado de Rony e Willian.

Sem o atleta, o técnico do Palmeiras terá que quebrar a cabeça, principalmente após a suspensão de quatro meses do atacante Rony. A tendência é que o garoto Gabriel Verón ganhe mais espaço, assim como Raphael Veiga e Lucas Lima. Outra opção é Gustavo Scarpa, mas o meia também pode ser negociado.

Dentro dessas possibilidades, Verón é o jogador mais talentoso e com maior potencial para se tornar ídolo do Palmeiras, mas apresenta características um pouco diferentes, com muita velocidade, bom arremate e menor qualidade no passe. Veiga também tem enorme potencial e oferece um passe mais refinado, aspecto fundamental para um armador. Já Lucas Lima tem estilo de jogo parecido com o camisa 23, mas a falta de vontade é a marca do jogador há alguns anos.

Diante deste cenário, fica claro que a ausência de Dudu é enorme e, apesar das boas peças do elenco, o Palmeiras precisa de um grande nome para substituir o ídolo. Especulado nos últimos dias, Hulk é excelente opção para aumentar o nível da equipe novamente, mas os altos valores dificultam o negócio.

Eduardo Martins

 (jalesense, aluno do 4° ano de jornalismo da PUC-Campinas) 

Desenvolvido por Enzo Nagata