jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

FORÇA TAREFA- A aprovação do Projeto de Lei Complementar, de autoria do Poder Executivo, propondo a adequação da Planta Genérica de Valores ...

Fique Sabendo
18 de setembro de 2017
Nivael Renesto, secretário de Fazenda, integrou o grupo que se reuniu para fazer esclarecimentos aos vereadores sobre IPTU
FORÇA TAREFA- A aprovação do Projeto de Lei Complementar, de autoria do Poder Executivo, propondo a adequação  da Planta Genérica de Valores , com atualização do valor venal dos imóveis e consequente reajuste no IPTU, exigiu um intenso trabalho de bastidores da assessoria do prefeito Flávio Prandi, um dia antes da sessão e na própria segunda-feira. 

DIÁLOGO – A coluna apurou que foram mobilizados para o trabalho de convencimento dos vereadores nomes como o de Pedro Manoel Callado Moraes (Procurador Geral do Município), Nivael Renesto (Secretário de Fazenda), Nelsinho Guzzo (chefe de gabinete da Secretaria de Fazenda), Niltinho Suetugo (Secretário de Planejamento), Chico Melfi (Secretário de Administração) e Ricardo Junqueira (Auditor Fiscal). Os 10 vereadores estavam presentes, mas Tiago Abra (PP) retirou-se logo no início.

SERENIDADE - Depois de tudo muito explicado na tarde de segunda-feira, no final  da reunião, o vereador João Zanetoni (PSB),  pediu a palavra e fez uma mini-prédica no sentido de que, na sessão ordinária noturna, dali a três horas,  todos tivessem o equilíbrio necessário para assumir suas posições e agir conforme a consciência de cada um.  Em seguida, convidou os colegas vereadores e os assessores para uma prece de mãos dadas. Como se sabe, Zanetoni é evangélico, frequentador dos cultos da Assembléia de Deus, e conquistou sua cadeira alavancado, em grande parte, pelos irmãos de fé.

JOGO BRUTO- Quem tem boa memória e viu os telejornais desta semana ou leu os jornais impressos sobre a prisão do empresário Wesley Batista, da JBS,  certamente identificou uma figura que ficou famosa em Jales e região em 2006 —Victor Hugo Rodrigues Pereira, delegado da Polícia Federal. Foi ele quem deu as principais entrevistas com os resultados das investigações da Polícia Federal no âmbito da Operação Tendão de Aquiles, que, desde junho, apurava se os irmãos Batista se beneficiaram da delação premiada para lucrar no mercado financeiro.

PULO DO GATO- Segundo a Polícia Federal, a prática é apelidada de “insider trading”. Documentos apresentados pela JBS à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) mostram que os Batista venderam R$ 200 milhões em ações da empresa, entre 24 de abril e 17 de maio. Na ocasião, os papéis estavam em alta no mercado. Quando a delação veio a público — com a informação de que Joesley Batista  tinha gravado o presidente Temer— as ações se desvalorizaram e os irmãos Batista compraram os papéis por valores inferiores aos que tinham vendido. Ou seja, ganharam uma fortuna. 

OLHO VIVO- Perguntaria o leitor mais jovem: e o que tem a ver o delegado federal Victor Hugo com Jales e região? Refrescando a memória dos esquecidos, foi ele quem comandou as investigações que redundaram na Operação Grandes Lagos, que apurava sonegação tributária dos frigoríficos da região, entre os quais, o Itarumã, de Jales. No dia da operação, 6 de outubro de 2006, sob o comando de Victor Hugo, 300 policiais federais se espalharam por Jales, São José do Rio Preto e Fernandópolis, cumprindo mandatos de prisão em alguns casos e de busca e apreensão de documentos em outros.    

VÔO BAIXO  - Ainda não foi desatado o nó em torno da processo de licitação para escolha da empresa que vai administrar o aeroporto de Jales. Como se sabe, houve dois concorrentes —a Aeropar, formada por  proprietários de aeronaves que ficam nos hangares, e a Astra, de Rio Branco, no Acre. 

IMBROGLIO- Conforme informou esta coluna, no dia da abertura dos envelopes, a Astra foi inabilitada pela Comissão de Licitação, por falta de um documento, mas, como estabelece a lei teve cinco dias úteis para recorrer, o que efetivamente fez. Notificada, a Aeropar agora tem os mesmos cinco dicas úteis para apresentar suas contra-razões, prazo que vence na quarta-feira. Depois, o recurso da Astra e as contra-razões da Aeropar serão submetidos à Assessoria Jurídica para emissão de parecer. Só depois a Comissão de Licitação, presidida por Admildo Ferreira dos Santos, proclamará o resultado final.

LOS HERMANOS – Ao agradecer o recebimento do título de cidadã jalesense conecedido pela Câmara Municipal, bem como homenagens do Rotary Grandes Lagos e AVCC, dia 13, a advogada argentina Maria Teresa Neira, que participou ativamente das mobilizações em seu país e na Colômbia para aquisição de equipamentos para o Hospital de Câncer, se permitiu uma brincadeira que arrancou risos da plateia. Ela disse que, a partir de agora, sendo cidadã jalesense, acabou a rivalidade entre Brasil e Argentina. E que, no futebol, num confronto entre Messi e Neymar, ela vai torcer por Neymar.