jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

FOGO NA ESCOLA

Alunos da Juvenal Giraldelli voltam às aulas amanhã
09 de setembro de 2018
Parte do material queimado foi colocado em uma sala ao lado do laboratório de informática
Por Luiz Ramires

Os alunos da Escola Estadual Juvenal Giraldelli, no Jardim Oiti, deverão retornar às aulas normalmente nesta segunda-feira, depois de quatro dias sem frequentarem a escola por causa do incêndio que destruiu a sala de informática, na manhã do dia 4 de setembro, terça-feira.
Duas salas de ensino municipal da Escola Elza Pirro Viana que funcionam na mesma escola só tiveram as aulas interrompidas na terça-feira, pois os alunos foram transferidos para a escola-sede, pelo menos até a situação voltar ao normal. 
A dirigente de Ensino, Marlene Jacomassi informou que esse período de afastamento foi necessário para que pudesse ser feita a limpeza da área queimada e por causa do cheiro forte que ficou na escola, além de garantir mais segurança aos alunos, professores e funcionários. 
No mesmo dia do incêndio, a Diretoria de Ensino enviou para a Secretaria de Estado da Educação as fotos do incidente e uma cópia do boletim de ocorrência registrado pela Polícia Civil, para que pudesse ser autorizada uma ação emergencial, através do Fundo de Desenvolvimento da Educação, para a rápida reposição do mobiliário e computadores destruídos.

INVESTIGAÇÕES
As causas do incêndio ainda estão sendo apuradas, mas sabe-se que o mesmo começou por volta das oito horas, logo após o início das aulas. O difícil, segundo os bombeiros é saber onde o fogo começou. A escola foi imediatamente evacuada, mas mesmo assim, sete alunos passaram mal por causa da fumaça que precisaram atravessar e foram levados pelo Samu até a UPA, onde outros 10 também foram atendidos por se sentirem incomodados pelo mesmo motivo.
Essa ação rápida dos professores, segundo os bombeiros, foi importante para que nenhum aluno saísse ferido ou com problemas maiores de inalação de fumaça. Eles foram levados para a rua que foi interditada, enquanto o fogo era combatido. Os pais de cerca de 300 alunos que estudam pela manhã foram até a escola para buscar mais informações, mas logo tudo voltou ao normal.
Os atendimentos foram mais pelo estresse causado, são alunos de 7 a 11 anos, os funcionários da escola tiraram rapidamente os alunos, sem nenhuma queimadura ou inalação de fumaça, segundo informou o socorrista Vandré Roma Missoni.