jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Fim de ano

13º Salário – Como as empresas devem se Planejar
28 de novembro de 2013

Fim de ano se aproxima e esta época para muitos empresários representa o término de uma etapa e o início de novas perspectivas de crescimento para sua empresa.
Mas para outros empresários, o que deveria ser um momento de comemoração se torna uma grande dor de cabeça. O motivo é o aumento significativo dos custos em função do pagamento do 13º salário para seus funcionários.
Além disso, o empresário tem que se preocupar com os impostos que vencem no início do ano seguinte, como IPTU e IPVA.
Vou colocar aqui dois cenários: o primeiro direcionado a aqueles empresários que não se preparam para este momento; e um segundo, direcionado a quem deseja se planejar para 2011 evitando que esta situação não se repita.

1º Cenário - 2013
Apure todos os valores previstos de entrada e saída para estes últimos meses do ano. Mas seja extremamente detalhista neste levantamento. Pois é desta maneira que terá uma idéia real da situação. É melhor estimar as receitas de forma conservadora do que perceber tardiamente que o rombo era maior do que se esperava.
Em seguida verifique os recebimentos que podem ser adiantados.
Seria interessante analisar melhor suas despesas fixas.
Renegocie com seus fornecedores os prazos de pagamento. Desta forma, o seu caixa não ficará tão comprometido no momento do pagamento do 13º Salário.
Outra saída é o empresário conversar com bancos e com administradoras de cartões de crédito corporativo. A grande maioria possui opções de empréstimo de capital de giro a empresas que precisam de um reforço neste período do ano.  Faça contatos com várias entidades financeiras, compare os juros cobrados e, importante, avalie o menor CET (Custo Efetivo Total).
Renegocie com seus fornecedores os prazos de pagamento. Desta forma, o seu caixa não ficará tão comprometido no momento do pagamento do 13º Salário.

2º Cenário- 2014
Provisione suas Receitas e Despesas e as distribua mês a mês ao longo do ano.
Avalie a movimentação de sua empresa nos últimos anos e comprove que há períodos que o Faturamento cresce, e é baseado neste histórico que o empresário provisionará estes valores. É o que chamaos de Fluxo de Caixa Previsto. Ou seja, o ideal é projetar seus ganhos e seus gastos para o ano todo, ao invés de decidir a cada mês o que fazer.
Quando a empresa possui uma movimentação mais complexa, utilize algumas ferramentas específicas que mostram o fluxo de caixa em detalhes, o que facilita as condições de uma melhor identificação das  despesas.
É possível, por exemplo, organizar um fluxo de caixa para cada setor da empresa (produção, administrativo,...), o que tornará ainda mais específica a análise e por conseqüência facilitará e muito no momento da tomada de decisões.
A gestão financeira executada de forma correta exclui a empresa do processo de contínuas dificuldades causadas por despesas meramente sazonais.

Flávio Oliveira
(16) 9167-2414
skype:- lucreconsultoria