jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

FERNANDÓPOLIS

Justiça autoriza leilão do Água Viva para amanhã, 5 de agosto
04 de agosto de 2019
O leilão inclui a área de 15 alqueires onde estão o clube e o Hotel
Flancilin Duarte
(de Fernandópolis)

Quatro anos após a decretação da falência, o Água Viva Thermas Clube vai a leilão, amanhã, dia 5 de agosto. O lance mínimo fixado pela Justiça é de R$ 10,2 milhões. Caso não haja comprador, será aberta nova praça no dia 8 e seguirá até o dia 28, sem interrupção, com o lance mínimo fixado em 60% do valor inicial, ou seja, o Água Viva poderá ser comprado por cerca de R$ 6 milhões. 
O leilão foi marcado pelo juiz da 1ª Vara Cível da Comarca de Fernandópolis, Marcelo Bonavolontá e refere-se aos bens da empresa Thermas do Anhanguera S/A, mantenedora do Água Viva Thermas Clube. O leilão virtual será conduzido pela SP Leilões (www.spleiloes.com.br)
Desde 2015, o Água Viva está sob gestão judicial. O primeiro administrador judicial foi Antonio Carlos Cantarela, nomeado logo após a decretação da falência do clube em 2015. Em 2016, assumiu Marcos Antonio Fontes. Desde então sua luta foi para manter o clube e hotel funcionando. Em 2018, em entrevista ao jornal Cidadão, Fontes recordou as condições que assumiu o clube: sem um centavo em caixa, funcionários desmotivados e o clube sujo. Neste período, mobilizou parceiros, motivou os funcionários para manter o clube aberto. Ele sabia que se fechasse as portas, o patrimônio teria deteriorado.
Por telefone, Fontes confirmou nesta sexta-feira que o leilão está realmente marcado para o dia 5 de agosto. Não soube explicar porque o valor da avaliação caiu de R$ 13 milhões para R$ 10,2 milhões. Mas, ele entende que o valor é justo e pode motivar o aparecimento de empresários interessados.  
Sem fazer uma retirada do caixa, Fontes lamenta que os 40 funcionários que mantém o clube e hotel funcionando estejam com os salários de maio e junho atrasados. A folha hoje está em R$ 50 mil mensais. “Espero que tudo corra bem. Torço, e muito, sempre para o melhor para Fernandópolis”, disse. 

ESTRUTURA 
O leilão inclui a área de 15 alqueires onde estão o clube e o Hotel. O clube é dotado de 3 amplas piscinas, toboáguas, tobobabys, quiosques com churrasqueiras, lanchonete e restaurante, quadras poliesportivas e minicampos de futebol. Hotel composto de 39 apartamentos; 4 suítes com banheira e 14 chalés para até seis pessoas.
No leilão está incluído um segundo lote de 14 animais, entre vacas leiteiras e bezerros, avaliados em R$ 22 mil.
O comprador do patrimônio do Água Viva, em primeira ou segunda praça, terá 24 horas para o pagamento através de uma guia de depósito judicial. 
O sucesso do leilão poderá representar nova fase para projeto turístico de Fernandópolis.