jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Favoritismo e paciência para a final

Por Eduardo Martins
07 de julho de 2019
Eduardo Martins
Show de Daniel Alves e Gabriel Jesus, Roberto Firmino decisivo e Alisson impecável, foi desta forma que a seleção brasileira não tomou conhecimento da Argentina, venceu por 2 a 0 e neste domingo encara o Peru na final da Copa América.
Favorita diante do rival que bateu o Chile por 3 a 0 na outra semifinal, a equipe de Tite não pode subestimar o adversário e terá um belo teste de paciência no confronto com o time que mais evoluiu durante a competição.
Para o confronto deste domingo é difícil imaginar os peruanos com a mesma postura da vitória sobre os chilenos, partindo para cima do adversário. Desta forma, o time de Ricardo Gareca deve repetir o que Venezuela e Paraguai fizeram nos confrontos com a seleção nesta Copa América. Equipe compacta e defensiva buscando explorar o contra-ataque.
Diante deste cenário, a calma será a palavra-chave para romper o sistema defensivo do rival. Além disso, toda atenção é necessária no momento que os peruanos terem a posse de bola, principalmente na velocidade de Carrilo, Flores e no oportunismo de Paolo Guerrero. 
Pelo lado brasileiro, Everton será fundamental e desta vez o atacante precisa aparecer para o jogo, diferente do que aconteceu na vitória contra os argentinos. A rapidez de Gabriel Jesus pelo outro lado do campo e a saída de Firmino da área, abrindo espaço para a penetração de outros atletas, também será importante pensando na vitória.
Adversário do Brasil na primeira fase, o Peru foi goleado por 5 a 0, em Itaquera, e por pouco não acabou eliminado ainda na fase de grupos. Apesar disso, a realidade agora é outra na equipe que tem Guerrero em fase espetacular e o goleiro Gallese com a confiança altíssima.
A certeza é que neste domingo, a partir das 17h, o Maracanã tem tudo para ver mais um título da seleção brasileira após a Copa das Confederações de 2013 e a Olimpíada de 2016. Para isso, basta o Brasil apresentar o mesmo futebol da vitória sobre a Argentina e não se afobar nos momentos que a seleção peruana estiver recuada. Se isso for cumprido, os 23 jogadores e Tite vão dar uma grande alegria à torcida brasileira.

Eduardo Martins 
 (jalesense, aluno do 3° ano de jornalismo da PUC-Campinas)