jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

FARRA NO TESOURO

Betto é autorizado a garantir fiança com bens bloqueados
04 de novembro de 2018
Advogado Luiz Fernando de Paula afirma que a decisão atende uma das alternativas para manter Betto em liberdade. Betto: liberdade provisória é mantida com garantia de pagamento de fiança de R$ 100 mil com bens bloqueados
Por Luiz Ramires

“Foi uma boa decisão, entre as que apresentamos, para que nosso cliente não voltasse a ser detido”. A avaliação é do advogado Luiz Fernando de Paula, sobre a autorização dada pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, para que Roberto Santos Oliveira, o Betto Calçados possa continuar aguardando julgamento em liberdade provisória, dando como garantia de pagamento de fiança de R$ 100 mil parte dos seus bens bloqueados pela Justiça de Jales, em função da operação Farra no Tesouro, da Polícia Federal.
O despacho do ministro, dado quarta-feira à tarde, diz o seguinte: “Ante o exposto, acolho o requerimento formulado pela defesa e determino ao Juízo de primeiro grau que utilize parte dos bens bloqueados do paciente para especialização da fiança de R$ 100.000,00, deixando de decretar nova prisão do requerente em face da não apresentação da garantia, até a adoção das medidas cabíveis para o cumprimento desta decisão. Publique-se. Intime-se”.
O advogado que estava em Brasília aguardando a decisão informou que foram apresentadas quatro alternativas. Uma para que Betto fosse dispensado do pagamento da fiança justamente porque seus bens estão sequestrados, outra para que fossem aceitos alguns desses bens como garantia do pagamento ou para que o ministro aceitasse um imóvel de seu pai ou ainda que a fiança fosse reduzida em pelo menos dois terços.
Como o ministro Gilmar Mendes havia fixado o prazo de dez dias para o pagamento da fiança, o advogado destacou que se o mesmo não decidisse até segunda-feira, ou não concordasse com uma das alternativas sugeridas, seu cliente poderia voltar para a prisão.  
Betto era o único que ainda estava preso pela Polícia Federal em função da Operação Farra no Tesouro. Sua ex-esposa Érica Cristina Carpi Oliveira e sua irmã Simone Carpi, já haviam conquistado prisão domiciliar, enquanto que o cunhado da ex-tesoureira da Prefeitura, Marlon Fernando Brandt também já se encontra em liberdade. Sua liberdade provisória foi autorizada pelo ministro na noite da última terça-feira, dia 23, quando fixou a fiança.