jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Faces da mesma moeda

por Carol Guzzo
02 de setembro de 2018
Caroline Guzzo
O Jornal Nacional, noticiário mais famoso da televisão brasileira, entrevistou durante a semana os candidatos à presidência da República. Vários temas foram abordados com a finalidade de esclarecer ao eleitor o plano de governo de cada um. 
Dentre os mais cotados,  ficou claro que Jair Bolsonaro (PSL) é o candidato de extrema centro-direita, assim como João Amoêdo (Novo). Já o Geraldo Alckmin (PSDB), Henrique Meireles (MDB) e Marina Silva (Rede) são de direita. Ciro Gomes (PDT) e Lula (PT), esquerda e Guilherme Boulos (PSOL), extrema esquerda. Pois bem, o que seria direita e esquerda? Vamos entender.
Embora, alguns cientistas políticos acreditam que estes termos estejam defasados, é preciso que a população brasileira entenda com mais clareza o que eles significam. 
Em meados do século XVIII, na Revolução Francesa (1789), durante a Assembleia Nacional, sentaram-se à esquerda os extremistas jacobinos e os liberais girondinos ficaram à direita, ou seja, naquela época a alta burguesia literalmente não quis “se misturar” com a baixa, sendo esse o marco inicial da classificação.  
De acordo com filósofo italiano e cientista político Norberto Bobbio, a esquerda defende a igualdade de oportunidades e prega a intervenção do Estado, ao passo que a direita prega a liberdade, a eficiência e menor interferência do Estado, entendendo que a desigualdade é algo natural, própria do ser humano.
Vamos destrinchar este assunto analisando alguns cenários:
- ESQUERDA - Apoia políticas de cotas, pois acredita que o Estado precisa gerar oportunidades para aqueles que não tiveram, ou seja, aos que nasceram em condições desfavoráveis. DIREITA – Acredita que é natural a desigualdade social e que o Estado não deve intervir nisso, isto é, quem nasceu pobre deve correr atrás por conta própria, sem ajuda do Estado. 
- ESQUERDA - Não defende a privatização de empresas estatais, pois tiraria um bem nacional do Estado, sendo assim faculdades públicas, Petrobras, Eletrobrás, não poderiam ser repassadas para a mão da iniciativa privada. DIREITA – Entende que empresas públicas são o foco da corrupção, sendo cabide de emprego para os colaboradores de campanha, se fosse administrada pela iniciativa privada aumentaria empregos, a eficiência da empresa e competitividade.
- ESQUERDA – É favorável aos programas de assistência social, ou seja, o Estado deve oferecer condições aos desfavorecidos, como o direito ao bolsa família, a continuação do Sistema Único de Saúde (SUS), entre outras medidas. DIREITA – Defende que o Estado não deve intervir nisso, porque o mercado econômico deve se autorregular. 
- ESQUERDA - Concorda com a reforma agrária, redistribuindo grandes latifúndios de terra que não cumprem com a função social da propriedade. DIREITA - Prega o respeito à propriedade privada.
Nenhum dos partidos existentes são totalmente direita ou esquerda, mas sobrepõe algumas características, sendo um mais do que o outro. Vamos falar de um exemplo mais prático. Pensemos em duas pessoas com visões diferentes, ambas podem querer menos interferência do Estado, ou seja, liberdade individual, porém uma delas também pode optar por uma liberdade econômica, sendo a favor da intervenção do Estado no que se refere aos programas sociais, saúde, educação e outros. 
Portanto, podemos concluir que os de esquerda acreditam que o Estado deve atuar para diminuir a desigualdade social e instalar condições materiais a todos, por meio de um investimento maior de recursos públicos em questões sociais de forma imediata, primeiro se elimina a pobreza para depois pensar na riqueza do país. Já os de direita defendem maior abstenção do Estado na economia e na vida das pessoas, pois as questões sociais podem ser resolvidas a longo prazo, visando primeiro a solução da economia. Para eles, quanto mais rico for o país, menor será a pobreza.
Dentre essa explicação, sugiro que os projetos dos candidatos sejam analisados, afinal, posicionamento político cada um tem o seu. E, aos indecisos ou que queiram realmente ter certeza em quem votar, sugiro acessar o site: https://oiceberg.com.br/calculadora/#comment-108 e responder algumas perguntas para descobrir o seu perfil de ideologia de acordo com o plano de governo mais adequado. É bem bacana e irá esclarecer em quem você poderá votar.

Fonte: https://www.megacurioso.com.br/politica/99236-conheca-a-origem-dos-termos-esquerda-e-direita-na-politica.htm

Caroline Guzzo
(jornalista jalesense, radicada em Uberlândia/MG)