jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Exposição Cores da Alma vai até sexta-feira no prédio da Justiça Federal

por Luiz Ramires
07 de julho de 2019
Manuela, ao centro, idealizadora da exposição, e os artistas plásticos Vivian e Márcio
Até a próxima sexta-feira, dia 12 de julho, o público tem a oportunidade de conhecer algumas obras dos artistas plásticos Márcio Leandro Sanchez e Viviam Carla dos Santos Jammal, na exposição “Cores da Alma”, no prédio da Justiça Federal de Jales, na Rua 6, nº 1837, no Jardim Maria Paula.
São 13 quadros, sendo 5 de Márcio, que é oficial de justiça da Justiça Federal , esposo de Flávia Requena Ferreira Sanchez, também servidora da Justiça Federal e 8 de Vivian, esposa do servidor Demétrio Jammal Neto. A mostra é aberta ao público em geral, no horário das 9 às 19 horas. A entrada é gratuita. Basta comparecer com um documento pessoal para visitar a exposição e desfrutar das belíssimas telas.
A ideia partiu da servidora Manuela Fava e Souza Rozanez, Diretora do Núcleo de Apoio Regional, com a aprovação do juiz federal Bruno Valentim Barbosa, diretor da Subseção Judiciária. Manuela afirma que o espaço está aberto para outros artistas interessados em expor no local. Ela está à disposição para explicar os procedimentos administrativos necessários para a viabilização da mostra.
As obras não são comercializadas no Fórum, mas os interessados em adquirir ou conhecer um pouco mais do trabalho dos artistas poderão acessar o Instagram (vivijammal) ou Facebook (Vivian Carla Jammal e Márcio Leandro).

MOSTRA
Manuela disse que ficou muito impressionada com o trabalho de Vivian e de Márcio e teve a ideia de fazer a exposição, quando consultou o juiz e ele prontamente autorizou.
Vivian sempre se identificou com o abstracionismo e afirma estar surpresa com a reação do público, pois esta é a primeira vez que participa de uma exposição e percebe isso pelos comentários. Embora mostre seus quadros nas redes sociais, não é a mesma coisa, como afirmou.
Márcio prefere paisagens, retratos e outros estilos, incluindo natureza morta. Ele afirma que esta é a sua segunda exposição e que pinta há vários anos, como hobby. Seus quadros podem ser adquiridos, mas o que ele gosta mesmo é de presentear amigos com uma ou outra obra.