jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Evento em Jales reúne jogadores de pôquer de vários estados

JOGOS INTELECTUAIS
08 de abril de 2018
Bruno Saura Rodrigues e seu sócio Dráuzio Macedo Assunção preparam o próximo evento que deverá reunir jogadores de vários estados
Desde quando deixou de ser considerado jogo de azar, o pôquer vem atraindo muitas pessoas pelo Brasil afora e na região não é diferente. Tanto que o Clube Rei no River, de Jales, um dos mais importantes para uma cidade com cerca de 50 mil habitantes, estará promovendo. Nos dias 10 a 15 de abril o evento 100 K GTD, com R$ 100 mil em premiação, com entrada de R$ 180,00. 
O evento deverá trazer para a cidade mais de 300 jogadores de vários estados e está sendo realizado em parceria com mais dois clubes, um de Três Lagoas e outro de Iturama, que juntos formaram a empresa de eventos NPTH (Noroeste Paulista de Texas Hold’em), como destacou Bruno Saura Rodrigues, um dos seus proprietários junto com Dráuzio Macedo Assunção.
Dráuzio explica que os jogos de azar dependem exclusivamente da sorte, o que como afirmou, não acontece no pôquer, onde as habilidades do jogador falam mais alto. Aí entram o conhecimento das regras, a capacidade de percepção do comportamento do adversário e até a posição do mesmo como sua postura na mesa.
Com tudo isso o pôquer passou a ser considerado um esporte da mente, como afirma Dráuzio, lembrando que já existem tipos diferentes de jogadores, como os que preferem apenas jogar e os que acabam se aperfeiçoando em busca do profissionalismo, para viver das competições.
O pôquer foi liberado no Brasil em 2012, sendo que o clube de Jales começou em 2015, com apenas seis jogadores que nem sabiam jogar direito, como uma ideia que virou uma empresa e hoje tem como outras empresas seus valores, missão, propósitos e objetivos, como afirmou Dráuzio.