jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Escola municipal no combate ao mosquito da dengue

por Jane Maiolo
01 de maio de 2017
A crianças com seus docentes
A Escola Professora Eljácia Moreira, de Jales, mais uma vez surpreende a comunidade quando se trata de conscientização para acabar com os criadouros do mosquito aedes aegypti.
O projeto de “Tempo Integral” no qual estão matriculados alunos de 4 e 5 anos conta com as aulas de educação ambiental cujo o foco  é desenvolver nos pequenos alunos comportamentos e atitudes que tendem a diminuir o alto índice larvário do mosquito da dengue em  nossa cidade. É comprovado que o aedes aegypti é o causador das doenças como febre amarela, dengue, zika vírus e chikungunya.
As crianças sob a orientação das professoras Célia Caparroz de Oliveira Santos, Rosilene Tresso e  Maria Aparecida Cardoso Antunes envolvidas no projeto pedagógico sobre o lixo, água e a dengue, após debateram sobre as causas e consequências da ação do mosquito concluíram que a distribuição da semente da planta crotalária seria uma opção viável para minimizar os efeitos da ação danosa do mosquito.
Acrotalária juncea é um repelente natural de combate ao mosquito causador da dengue. A planta atrai a libélula, que é o inseto predador desse mosquito. A libélula põe seus ovos em água parada, as larvas de libélulas se alimentam das larvas do mosquito da dengue acabando por quebrar o ciclo de reprodução dele. 
Com esse trabalho de conscientização a mobilização na escola foi grande e a conclui-se que a educação e a conscientização continuam sendo os recursos mais dinâmicos para mudar os painéis de uma sociedade mais saudável.
O projeto de combate ao mosquito se estendeu a toda comunidade escolar, sendo o próximo passo o plantio das sementes pelas próprias crianças e pelas famílias da comunidade. As sementes podem ser adquiridas no viveiro municipal sem adicional de custo, pois afinal um mosquito não pode ser mais forte do que toda uma comunidade consciente!