jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Entidades da região protestam contra o corte de quase 100% nos programas sociais do governo

por Luiz Ramires
09 de outubro de 2017
A mobilização em Jales foi aprovada na primeira reunião regional, em Votuporanga
Uma grande concentração está prevista para o próximo dia 18, quarta-feira, a partir das 9 horas, nas dependências da Câmara Municipal, seguida de uma passeata para protestar contra os cortes nos programas sociais do governo federal que em muitos casos chegam a praticamente 100%. 
Os cortes vão atingir em cheio todos os municípios, principalmente os pequenos, como informou o psicólogo do CREAS de Jales, Igor Sanchez Vinza que já confirmou a presença de representantes das prefeituras, das entidades de assistência social, conselhos, associações e outras instituições, de 49 cidades.

PREFEITURAS SACRIFICADAS
Se os cortes radicais previstos forem aprovados pelo Congresso Nacional, os municípios terão que arcar com as despesas de manutenção de todos os programas e de apoio às entidades que mantem convênios com o governo, pois são repasses obrigatórios e as prefeituras, principalmente dos municípios menores não têm a mínima condição de se responsabilizar por mais esses custos, como afirmou Igor. Isso sem contar com a agravante de que essas despesas extras não foram programadas nos orçamentos municipais do ano que vem.

MOBILIZAÇÃO 
A concentração em Jales faz parte de uma grande mobilização nacional, envolvendo ainda os políticos de cada região, a partir dos seus prefeitos e vereadores, para procurar convencer os deputados e senadores do absurdo que é acabar com os programas sociais do governo federal. 
As entidades já estão se mobilizando para envolver as associações de municípios, como a AMOP e a AMA, contando para isso com o apoio dos prefeitos e deputados que também deverão estar presentes na mobilização em Jales. 

OS CORTES
De acordo como CREAS e outros organizadores do movimento, estes são alguns cortes previstos:
Os Serviços de Proteção Básica caem de R$ 2 bilhões para R$ 800 mil (99,96%).
A estruturação dos Serviços de Proteção Básica cai de R$ 7,1 milhões para R$ 200 mil (97,18%).
O AceSuas Trabalho cai de R$ 50 milhões para R$ 200 mil (99,6%).
O Serviço de Proteção Social de Média Complexidade cai de R$ 536 milhões para R$ 500 mil (99,9%).
O Serviço de Proteção Social Especial de Alta Complexidade cai de R$ 287 milhões para R$ 500 mil (99,8%).
A Estruturação do Serviço de Proteção Social Especial cai de R$ 9 milhões para R$ 200 mil (97%).
Além disso, nas atividades de Apoio à Gestão, os cortes chegam a 99,7%, sendo que o Bolsa Família cai de R$ 29 bilhões para R$ 26 bilhões, deixando quase 2 milhões de famílias sem acesso ao programa, no próximo ano.