jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

ENSINAR a pescar é um velho adágio que se aplica em muitas situações quando o assunto é preparação para a vida financeira das pessoas e das famílias.

Contexto
23 de dezembro de 2018
ENSINAR
a pescar é um velho adágio que se aplica em muitas situações quando o assunto é preparação para a vida financeira das pessoas e das famílias, principalmente as que necessitam de um apoio para conseguir alguma forma de arranjar recursos para sobreviver e pagar as contas.

NESSE
sentido, o trabalho desenvolvido pelo Fundo Social de Solidariedade do município, presidido pela primeira-dama Glauciane Pontes Helena Franco deve ser destacado pelo que representa não só como ajuda para os mais carentes, com paliativos como cestas básicas, mas também com cursos, oficinas e capacitações em várias áreas que incluem saúde, beleza, gastronomia, informática e artesanato que em 2018 atendeu 2.159 pessoas que puderam aprender uma nova atividade para contribuir com a sua renda familiar.

MAS,
como estamos em mais um período de festas natalinas, é importante destacar essa atuação do Fundo no atendimento aos necessitados que também passam de duas mil pessoas, onde se incluem 332 assistidos diretamente, além do cadastramento de 265 para a Campanha do Agasalho e outras 750 no projeto Natal Mais Feliz, com  a distribuição de cestas de Natal.

ASSIM,
fica mais uma vez constatada a relevância desse trabalho que quando bem conduzido produz frutos nas duas frentes, ajudando quem precisa e dando as condições para que cada um possa produzir sua própria renda, o que ficou demonstrado em uma pesquisa feita pelo próprio Fundo quando todos os frequentadores dos cursos responderam a um questionário onde entre outras respostas afirmaram que indicariam os mesmos para algum amigo ou pessoa da família.

É BOM
lembrar que essa forma de contribuir para a capacitação dos carentes começou lá atrás, quando a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo, Lu Alckmin decidiu investir na ideia que se propagou por vários municípios.

JALES
não ficou atrás e deu exemplo de resolução com o trabalho desenvolvido pela então primeira-dama e presidente do Fundo municipal, Rosângela Parini que também promoveu vários cursos, incentivando a participação, contando com o apoio de sua equipe. (Luiz Ramires)