jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Empresário não rasga dinheiro

Editorial
01 de outubro de 2017
Já foi escrito recentemente neste mesmo espaço que quem vê de fora vê melhor, em alusão aos empreendimentos capitaneados por empresários vindos de outros lugares.
Houve quem enxergasse no raciocínio desenvolvido pela equipe do J.J. uma dose exagerada de bairrismo burro, ou seja, ainda não haveria motivo suficiente para tanta comemoração.
Como ninguém  pode brigar com os fatos, principalmente quem trabalha na mídia, eis  que dois acontecimentos  de agora se encarregaram de calar o ceticismo dos incrédulos.
Como é do conhecimento da maioria, na última sexta-feira, dia29, uma empresa de Santa Fé do Sul, o Supermercado Bom Retiro, estendeu seus tentáculos para Jales. Consta que o investimento passou dos R$ 15 milhões.
A semana que entra também reserva boas notícias, eis que passará a funcionar o Frigorífico Boi Mix, que tinha postos avançados em Valentim Gentil e Ouroeste, ocupando as antigas instalações do Frigorífico Jales.
Levando-se em consideração que, como diz a voz do povo, empresário não rasga dinheiro, a conclusão óbvia é a de que tanto o dono do SBR quanto o comando do Boi Mix enxergarem em Jales a possibilidade de aumentarem seus ganhos.
Motivações não faltaram para que tais empresários colocassem Jales no radar,  eis que nossa cidade  tem posição geográfica privilegiada, oferece 100% de água e esgoto tratados, situa-se a 50 quilômetros da divisa com Mato Grosso do Sul e em conexão com Goiás e a 40 quilômetros de Minas Gerais.
 Ou seja, nenhum dos dois grupos que estão se instalando atirou às cegas, sem ter certeza do que estavam fazendo. Ambos certamente se muniram de pesquisas qualificadas para subsidiar seus investimentos.
Em contrapartida, são mais 400 empregos aproximadamente oferecidos à população, especialmente aos mais jovens, dando-lhes perspectivas de uma vida melhor. 
 Se a iniciativa privada está acelerando na descida, espera-se que o poder público municipal, que começou o ano muito bem, ao recuperar as ruas e avenidas e livrar a cidade das chacotas dos vizinhos, também faça a sua parte, devolvendo aos contribuintes em serviços o que será arrecadado a mãos  no próximo ano em face da revisão da Planta Genérica de Valores, com atualização do valor venal dos imóveis e aumento de 22,07% no Imposto Predial e Territorial Urbano.
Enfim, o cenário não chega a ser róseo, como não é em lugar nenhum do país mas, sem dúvida, o que está acontecendo nos últimos dias e o que poderá ser viabilizado nos próximos anos são motivos suficientes para que um fio de esperança passe a habitar corações e mentes de quem para Jales.