jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Em 7 meses, Sebrae atende mais que o dobro previsto para 2017 em Jales

por Luiz Ramires
19 de novembro de 2017
Trabalho dos agentes de desenvolvimento em Jales é destacado durante reunião do Sebrae na ACIJ
De abril a outubro, ou seja, em apenas sete meses, o trabalho realizado pelos agentes de desenvolvimento Gustavo Danilo Pontel e Ana Cláudia de Oliveira Marilhano superou em mais que o dobro a meta estabelecida pelo Sebrae para todo o ano de 2017 em Jales.
Carla Carina Bussoloti, gestora do Sebrae Aqui na região, informou durante reunião na Associação Comercial e Industrial de Jales (ACIJ) que os dois agentes iniciaram suas atividades no dia 3 abril e, levantando todos os dados até outubro, verificou-se que toda meta prevista para 12 meses já havia sido ultrapassada, incluindo atendimento, capacitação, cursos, palestras e oficinas.
Nesse período foram realizados 941 atendimentos, sendo 606 individuais e 335 como resultado de convites para a participação nas atividades programadas, quando a meta era de cerca de 450 atendimentos.

MOTIVAÇÃO
Kleber Ricardo Guerche, coordenador regional de atendimento do Sebrae, explicou que para trabalhar no Sabrae Aqui, que oferece os mesmos serviços do Sebrae-SP, os dois agentes de atendimento cedidos pela Prefeitura tiveram que ser capacitados e continuam recebendo treinamento para o desenvolvimento de suas habilidades no exercício da função. O que faz a diferença em Jales, como afirmou, é o envolvimento dos dois nas suas atividades, motivados em contribuir para com o desenvolvimento regional.
Uma das grandes conquistas para uma cidade que conta com atendentes com esse perfil, segundo Kleber, é que as coisas começam a ficar mais fáceis para os empresários, pelos serviços oferecidos para resolver os seus problemas. 

TRABALHO DIFERENCIADO
O presidente da ACIJ, Carlos Roberto Altimari destacou que esse resultado é mérito dos dois agentes de desenvolvimento que estão na linha de frente de todo o trabalho. Carlinhos lembrou ainda que o Via Rápida Empresa está sendo desenvolvido pelos dois agentes de forma diferenciada em relação aos outros municípios.
O presidente da ACIJ também destaca que isso não acontece por acaso, mas como resultado de um trabalho desenvolvido pela associação com parceiros como o próprio Sebrae, a Prefeitura, o Sincomércio e o Sindicato Rural de Jales. Tanto que além do Sebrae Aqui, a sede da ACIJ abriga hoje outros serviços e órgãos como o Sincomércio, o escritório da Junta Comercial e o Banco do Povo, transformando aquele local em um amplo espaço para o empreendedor.

PARCERIA
Wellington Assunção, chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Planejamento, que participou da reunião com o Sebrae, na ACIJ junto com Márcia Lúcia Marques, chefe de setor de planejamento representando o prefeito Flávio Prandi Franco, lembrou que o apoio da Prefeitura é importante para o atendimento e capacitação dos empreendedores. A Prefeitura apenas cede dois funcionários para execução de todo serviço realizado pelo Sebrae e a ACIJ. Os benefícios são muito grandes, com custo muito baixo para o poder público municipal, como afirmou.

CRESCIMENTO
Ana Cláudia e Gustavo lembram que são muitos os serviços prestados pelo Sebrae em Jales, desde orientações legais sobre o Microempreendedor Individual, bem como a formalização da pessoa física como empresário (MEI). Ainda, são oferecidos diversos serviços como atualização de cadastro, emissão de boletos de pagamento, emissão de certidões, baixa e encerramento de empresa, declaração anual de faturamento, requisição de alvará de funcionamento e inserção da empresa no módulo estadual de licenciamento do Via Rápida. 
Os agentes de desenvolvimento ressaltam ainda que, em Jales, o processo de formalização do empresário como MEI tem sido desburocratizado. A solicitação de licenças junto aos demais órgãos, como Corpo de Bombeiros e Vigilância Sanitária, por exemplo, tem sido feita pelo próprio Sebrae. Em outros municípios, com o CNPJ em mãos, o próprio interessado deve comparecer aos órgãos responsáveis para solicitar as licenças. Segundo Ana Cláudia, o MEI ao se formalizar recebe orientação e apoio integral durante todo o procedimento de abertura da sua empresa. “É um trabalho de desburocratização para facilitar que o microempreendedor, na hora da formalização da sua empresa, não fique correndo atrás de papeladas”, completou.