jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Eleições em Jales – Parte XXI

Acabou-se o prazo para filiações partidárias para as eleições de 2012.
23 de outubro de 2011

Acabou-se o prazo para filiações partidárias para as eleições de 2012. E o vice-prefeito Clóvis Viola quase foi para o PSDB. E fala-se de tudo nas rodas de bate-papo cidade afora. Mas o comentário mais difundido diz que supostamente haveria a mão de uma deputada no tapete que lhe fora puxado. Vixi! Será?
Então agora revisando, pela enésima vez: São citados como candidatos a candidatos a prefeito e/ou vice-prefeito de Jales: Flá Prandi, José Devanir “Garça” Rodrigues, Clóvis Viola, Nice Mistilides, José Pedro Venturini, Especiato, Dr. Pedro Callado, Pérola Cardoso, Paulo Mariani. Como se vê, não há cadeira para todo mundo. Háháhá.
Independente de quem venha a ser o prefeito de Jales, que tal uma concentração de esforços para a eleição de uma Câmara Municipal de notáveis? Com boa vontade a gente peneiraria uns três ou quatro vereadores da atual legislatura. E poderíamos completar aquela casa de leis com os outros nomes da lista de candidatos a candidatos. E mais alguns nomes da sociedade civil organizada. Há nomes de peso que poderiam aumentar essa lista de notáveis para elegermos uma Câmara de causar inveja aos municípios vizinhos. Assim de momento consigo citar o Carlos Alberto de Brito Neto, Alexandre Rensi, Pastor Elias, Valdemar Oliveira Xavier, Hilário Pupim, Gilbertão Alexandre de Moraes, Mário Miura, Odair Brassolati, Pastor Honório Junior, Jairton Ferraz, professor Christovan Avelhaneda, Manoel Ildefonso Paz Landin. Faltou alguém? Claro que sim. Aposto que o leitor tem outro nome em mente. O que estou sugerindo nada mais é que a oficialização do Fórum da Cidadania, que há muito vem fazendo o papel que deveria ser da Câmara.
Por falar em nomes, tem gente que pensa que a Família Jalles foi demasiadamente homenageada em nossa cidade. Avenida, escola, praça e a própria cidade receberam o nome e/ou sobrenome do fundador. Mas nada se compara ao coronelismo do norte-nordeste. Chega a ser patético. No Maranhão, o sobrenome Sarney está em 161 escolas, segundo levantamento feito pela Folha de São Paulo. E na Bahia, nada menos que 220 escolas receberam o nome do ex-governador Antonio Carlos Magalhães e seu filho Luis Eduardo.  Socorro! Se não por o nome eles mandam matar. Háháhá. Brasil, sil, sil!
Uma multa entrou para os anais da Sabesp. Uma multa de trânsito. O Marcos Vinicius, popular Jeguinho, ainda quando funcionário daquela empresa, foi multado dirigindo a 145 km/h. Num Fusca da empresa. É isso mesmo! 145km/h. Num Fusca. Háháhá. Diz a lenda que a Sabesp não descontou do salário do Jeguinho por que imaginou que fora um engano do agente de trânsito. Háháhá.
Que susto! E que alívio! Quinta-feira, 20, encontrei o advogado Marcelo C. Silveira no Supermercado Sakashita. Meu amigo Marcelo, o conhecido Xexéu, empurrava um carrinho de compras na companhia de um rapaz. Tomado de espanto e malícia, imaginei que os dois estivessem morando juntos. Háháhá. Mas para minha alegria e alívio, depois de breve conversa com o Xexéu, descobri que eles faziam compras para uma pescaria. Ufa! Que susto, Xexéu! Háháhá.  (Ele me mata! Háháhá.)
Por hoje é só. Tchau!

 Fábio Fiorani
Professor de Inglês, graduado pela FAI-Jales e pós-graduado em Língua Inglesa pela UNESP de São José do rio Preto.  - Franqueado CCAA em Jales.
fcmfiorani@terra.com.br