quarta 14 abril 2021
Arquibancada

É hora de parar

O tradicional Dérbi entre Corinthians e Palmeiras, conhecido como uma das maiores rivalidades do futebol brasileiro, teve um capítulo triste na última semana, no jogo que aconteceu na Neo Química Arena. Em meio ao surto de Covid-19 que atingiu 19 funcionários do Timão (oito atletas e 11 membros de diferentes setores do clube), a Federação Paulista de Futebol (FPF) não se incomodou e a partida foi realizada “normalmente”, terminando empatada por 2 a 2.

No mesmo dia, 1.910 pessoas morreram no Brasil em decorrência do coronavírus e a entidade máxima do futebol paulista já deixou claro que os campeonatos não serão paralisados, mesmo com o colapso do sistema de saúde estadual.

Diante do cenário devastador da pandemia no Brasil e do negacionismo de pessoas que até o momento não conseguem assimilar o delicado período que estamos vivendo, a continuidade do futebol é apenas um reflexo da irresponsabilidade que predomina na sociedade.

O técnico Lisca, comandante do América-MG, concedeu entrevista emblemática ao canal Premiere na última quarta-feira (3), antes do confronto com o Athletic-MG, pelo Campeonato Mineiro. “É quase inacreditável que saiu uma tabela com jogos dia 10 e 17 com 80 clubes, que vamos levar 30 jogadores com delegação para um lado e para o outro do país. Nosso país parou, gente. Não tem lugar nos hospitais. Eu estou perdendo amigos, amigos treinadores. Não é a hora mais, é hora de segurar a vida”, pontuou o treinador.

Conhecido como Lisca Doido, por sua forma irreverente de lidar com torcedores e jogadores, o técnico provou que é infinitamente mais sensato e consciente que o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, que não conseguiu entender o tamanho do risco que estarão correndo atletas de 80 clubes obrigados a viajarem por diferentes estados do Brasil para disputarem os jogos da primeira fase da Copa do Brasil.

Está claro que em um ano de pandemia, estamos vivendo o pior momento na luta contra o coronavírus no Brasil e todos os cuidados são extremamente necessários neste momento. De forma correta, o estado de São Paulo regrediu para a etapa mais rigorosa de restrição de mobilidade urbana e serviços não essenciais, essa realidade também já está presente em outras regiões do Brasil e o esporte precisa parar.

Infelizmente é difícil esperar atitudes corretas da CBF e da maioria das federações, porém algo precisa ser feito para que os campeonatos sejam paralisados neste momento, assim como aconteceu no ano passado quando a situação também era muito ruim. Agora é pior.

 Eduardo Martins

(jalesense, jornalista com formação da PUC-Campinas) 



Lisca é técnico do América-MG

Desenvolvido por Enzo Nagata