Fique Sabendo

DOMICÍLIO - Na noite de terça-feira, dia 14 de janeiro, o deputado estadual Itamar Borges, vice-lider do MDB na Assembleia Legislativa anunciou que tinha decidido transferir seu domicílio eleitoral de Santa Fé do Sul para São José do Rio Preto.

IMPOSTÔMETRO – Do dia 1º de janeiro até sexta-feira, dia 17, os moradores de Jales já recolheram aos cofres públicos, em todos os níveis, exatamente R$1. 186.942,52 em impostos. Os números são absolutamente confiáveis e foram obtidos junto à Associação Comercial de São Paulo, e com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário. 

LEÃO-   Os técnicos da ACSP divulgam os números em tempo real e baseiam as arrecadações municipais em dados da Secretaria do Tesouro Nacional, dos municípios que divulgam seus números em atenção à Lei de Responsabilidade Fiscal e do Tribunal de Contas dos Estados. De 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2019, os jalesenses desembolsaram R$ 20.669.846,98. No ano anterior, a dentada do leão foi um pouco mais dolorida —R$ 21.268.491,24.

MORDIDA – Ainda de acordo com o Impostômetro, nos últimos quatro anos (2016, 2017, 2018 e 2019), os brasileiros tiveram que trabalhar 156 dias por ano para pagar impostos. Até sexta-feira, 17, os brasileiros suaram sangue para pagar R$ 136.658.017.088.56.

DOMICÍLIO - Na noite de terça-feira, dia 14 de janeiro, o deputado estadual Itamar Borges, vice-lider do MDB na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, surpreendeu os companheiros políticos e amigos pessoais anunciando que tinha decidido transferir seu domicílio eleitoral de Santa Fé do Sul para São José do Rio Preto. 

MESMA LÍNGUA – Em contato com a coluna, Itamar explicou que resolveu bater o martelo após longa reflexão, sondagens junto a aliados de primeira hora  e em plena concordância com o prefeito de São José do Rio Preto, Edinho Araujo  (MDB), de quem foi uma espécie de discípulo, pois ambos nasceram e foram criados em Santa Fé do Sul, com a diferença de que um tem 25 anos a mais que o outro. 
VÁCUO- A mudança também teve outra motivação, esta de ordem política. Como se sabe, os três deputados estaduais rio-pretenses — Vaz de Lima (PSDB), Orlando Bolçone (PSB) e João Paulo Rillo (PSOL) — não se reelegeram nas eleições de 2018, o que abriu um vácuo em termos de representatividade na maior cidade da região noroeste. 

CHEGA MAIS – Na verdade, a mudança de domicílio de Itamar era só questão de tempo. Há quatro anos, ele já tem montado e funcionando um escritório político em Rio Preto onde atende, pelo menos uma vez por semana, prefeitos e vereadores do entorno da capital regional e todos os que o procuram.  A estrutura o ajudou a abrir portas e lhe valeu aumento de votação naquela cidade em 2018.

CHEGA MAIS (2)- Olhando pelo retrovisor, vale lembrar que, em 1998, logo após Itamar disputar sua primeira eleição para deputado estadual,quando ficou na suplência, um jalesense, seu amigo pessoal, tentou convencê-lo a transferir o título de eleitor para Jales, pois com a morte do deputado federal Roberto Rollemberg três anos antes, a cidade tinha ficado sem uma liderança política forte. Itamar chegou a se animar com as ponderações, mas foi dissuadido por alguns membros de seu grupo político em Santa Fé, que o queriam na prefeitura novamente, o que efetivamente aconteceu.

O CÉU É O LIMITE- O jornalista jalesense Rafael Honorato, vinculado à TV TEM/Itapetininga/ escritório de Avaré, estreou em rede nacional. Ele fez entrada ao vivo anteontem, dia 17, no programa jornalístico “Bom Dia, Brasil”, ancorado por Chico Pinheiro e Ana Luiza Guimarães, falando sobre problemas na hidrelétrica Jurumirim. Rafa completou 23 anos no dia 9 de janeiro e começou sua carreira no Jornal de Jales, ainda adolescente, aos 15 anos, trazido por seu pai Cláudio de Oliveira, o Claudinho, do setor de comunicação da Polícia Civil de Jales. Depois, estudou jornalismo e decolou. 

PRETO NO BRANCO - Os prefeitos de municípios que mandam alunos para a Apae de Jales e que não têm por hábito honrar os compromissos assumidos com a instituição precisam ficar espertos. No final do ano passado, o prefeito Calango, de Aspásia, tomou um sufoco. Com três meses de repasses em aberto, o alcaide estava empurrando o débito com a barriga. Foi quando o presidente João Papassidero, que é advogado, acionou uma das mães e a orientou a procurar a Câmara Municipal. Não deu outra. Os vereadores compraram o barulho e  foi o bastante para o chefe do executivo se mexer e pagar a conta.   

TUDO O.K.- Quanto a Jales, Papassidero garantiu que os repasses estão rigorosamente em dia. Segundo ele, o prefeito Flá está cumprindo rigorosamente todos os compromissos e agora vai incluir a Apae no processo de terceirização do transporte de alunos.  

Desenvolvido por Enzo Nagata