jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

DOMICÍLIO - Na noite de terça-feira, dia 14 de janeiro, o deputado estadual Itamar Borges, vice-lider do MDB na Assembleia Legislativa anunciou que tinha decidido transferir seu domicílio eleitoral de Santa Fé do Sul para São José do Rio Preto.

Fique Sabendo
19 de janeiro de 2020
Itamar, que está transferindo domicílio eleitoral para Rio Preto, recebeu as boas vindas do prefeito Edinho
IMPOSTÔMETRO – Do dia 1º de janeiro até sexta-feira, dia 17, os moradores de Jales já recolheram aos cofres públicos, em todos os níveis, exatamente R$1. 186.942,52 em impostos. Os números são absolutamente confiáveis e foram obtidos junto à Associação Comercial de São Paulo, e com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário. 

LEÃO-   Os técnicos da ACSP divulgam os números em tempo real e baseiam as arrecadações municipais em dados da Secretaria do Tesouro Nacional, dos municípios que divulgam seus números em atenção à Lei de Responsabilidade Fiscal e do Tribunal de Contas dos Estados. De 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2019, os jalesenses desembolsaram R$ 20.669.846,98. No ano anterior, a dentada do leão foi um pouco mais dolorida —R$ 21.268.491,24.

MORDIDA – Ainda de acordo com o Impostômetro, nos últimos quatro anos (2016, 2017, 2018 e 2019), os brasileiros tiveram que trabalhar 156 dias por ano para pagar impostos. Até sexta-feira, 17, os brasileiros suaram sangue para pagar R$ 136.658.017.088.56.

DOMICÍLIO - Na noite de terça-feira, dia 14 de janeiro, o deputado estadual Itamar Borges, vice-lider do MDB na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, surpreendeu os companheiros políticos e amigos pessoais anunciando que tinha decidido transferir seu domicílio eleitoral de Santa Fé do Sul para São José do Rio Preto. 

MESMA LÍNGUA – Em contato com a coluna, Itamar explicou que resolveu bater o martelo após longa reflexão, sondagens junto a aliados de primeira hora  e em plena concordância com o prefeito de São José do Rio Preto, Edinho Araujo  (MDB), de quem foi uma espécie de discípulo, pois ambos nasceram e foram criados em Santa Fé do Sul, com a diferença de que um tem 25 anos a mais que o outro. 
VÁCUO- A mudança também teve outra motivação, esta de ordem política. Como se sabe, os três deputados estaduais rio-pretenses — Vaz de Lima (PSDB), Orlando Bolçone (PSB) e João Paulo Rillo (PSOL) — não se reelegeram nas eleições de 2018, o que abriu um vácuo em termos de representatividade na maior cidade da região noroeste. 

CHEGA MAIS – Na verdade, a mudança de domicílio de Itamar era só questão de tempo. Há quatro anos, ele já tem montado e funcionando um escritório político em Rio Preto onde atende, pelo menos uma vez por semana, prefeitos e vereadores do entorno da capital regional e todos os que o procuram.  A estrutura o ajudou a abrir portas e lhe valeu aumento de votação naquela cidade em 2018.

CHEGA MAIS (2)- Olhando pelo retrovisor, vale lembrar que, em 1998, logo após Itamar disputar sua primeira eleição para deputado estadual,quando ficou na suplência, um jalesense, seu amigo pessoal, tentou convencê-lo a transferir o título de eleitor para Jales, pois com a morte do deputado federal Roberto Rollemberg três anos antes, a cidade tinha ficado sem uma liderança política forte. Itamar chegou a se animar com as ponderações, mas foi dissuadido por alguns membros de seu grupo político em Santa Fé, que o queriam na prefeitura novamente, o que efetivamente aconteceu.

O CÉU É O LIMITE- O jornalista jalesense Rafael Honorato, vinculado à TV TEM/Itapetininga/ escritório de Avaré, estreou em rede nacional. Ele fez entrada ao vivo anteontem, dia 17, no programa jornalístico “Bom Dia, Brasil”, ancorado por Chico Pinheiro e Ana Luiza Guimarães, falando sobre problemas na hidrelétrica Jurumirim. Rafa completou 23 anos no dia 9 de janeiro e começou sua carreira no Jornal de Jales, ainda adolescente, aos 15 anos, trazido por seu pai Cláudio de Oliveira, o Claudinho, do setor de comunicação da Polícia Civil de Jales. Depois, estudou jornalismo e decolou. 

PRETO NO BRANCO - Os prefeitos de municípios que mandam alunos para a Apae de Jales e que não têm por hábito honrar os compromissos assumidos com a instituição precisam ficar espertos. No final do ano passado, o prefeito Calango, de Aspásia, tomou um sufoco. Com três meses de repasses em aberto, o alcaide estava empurrando o débito com a barriga. Foi quando o presidente João Papassidero, que é advogado, acionou uma das mães e a orientou a procurar a Câmara Municipal. Não deu outra. Os vereadores compraram o barulho e  foi o bastante para o chefe do executivo se mexer e pagar a conta.   

TUDO O.K.- Quanto a Jales, Papassidero garantiu que os repasses estão rigorosamente em dia. Segundo ele, o prefeito Flá está cumprindo rigorosamente todos os compromissos e agora vai incluir a Apae no processo de terceirização do transporte de alunos.