jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Dois clássicos, nenhum favorito

Por Eduardo Martins
08 de abril de 2019
Eduardo Martins
Chegou o momento tão esperado nos estaduais: a reta final. Com dois clássicos, as semifinais do Paulistão prometem grandes jogos sem nenhum favorito. No Allianz Parque, o Palmeiras recebe o São Paulo, neste domingo, às 16h, enquanto Santos e Corinthians se enfrentam amanhã, às 20h, no Pacaembu.
Após empate por 0 a 0 em partida movimentada no Morumbi, alviverdes e tricolores novamente se enfrentam em um jogo que tudo pode acontecer. De um lado, a grande equipe de Felipão tem atletas experientes como Dudu e Ricardo Goulart, a vantagem de decidir em casa e uma pressão um pouco maior diante dos investimentos feitos no começo da temporada.
Em realidade oposta, o São Paulo iniciou oficialmente nesta semana a era Cuca e parece ter encontrado paz após os dois triunfos diante do Ituano. Com o time recheado de garotos, o Tricolor tem condições de vencer na casa palmeirense e, para isso, Antony, Liziero e Igor Gomes precisam fazer a diferença.
No confronto entre Santos e Corinthians tudo também está aberto, mesmo diante da má fase do time de Sampaoli. Vindo de duas derrotas seguidas, o treinador santista tem como missão fazer sua equipe partir para cima do Timão e precisa levar à campo a dupla Rodrygo e Derlis Gonzáles, explorando a velocidade pelos lados, ao invés da lentidão e falta de vontade do peruano Cueva.
O Timão, apesar da vitória na partida de ida, tem que ir ao Pacaembu sabendo que nada está ganho. Fábio Carille não pode cair na armadilha de se defender o tempo todo, já que o placar de 2 a 1 não dá nenhuma garantia de classificação. Em bom momento, Clayson pode ser ótima válvula de escape para o confronto, explorando os espaços deixados pelo lateral Victor Ferraz.
A classificação do Palmeiras para a final certamente é o que Felipão mais quer para evitar alguma turbulência antes do Brasileirão. O Corinthians também busca mais uma decisão para fazer história e tentar conquistar seu terceiro título seguido.
Para o São Paulo, a chegada na final e um título estadual depois de 14 anos seria motivo de alívio para Leco e qualquer torcedor que não vê sua equipe erguer uma taça desde 2012. Já pelos lados do Peixe, a classificação e o sonho da conquista trarão a convicção que o trabalho de Sampaoli está no caminho certo.
A certeza é que finalmente teremos grandes jogos no Paulistão, tudo que passou longe de ser visto na primeira fase do estadual.

Eduardo Martins 
 (jalesense, aluno do 3° ano de jornalismo da PUC-Campinas)