jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

DIREITO

Reitora da Unijales e coordenador do curso garantem alto nível
29 de julho de 2018
Maria Christina Soler Bernardo (reitora da Unijales) e Guilherme Soncini da Costa (coordenador do novo curso)
Com 20 cursos em nível de licenciatura e bacharelado, o Centro Universitário de Jales, fundado há 48 anos, reforçou seu portfólio de opções profissionais aos jovens da região e estados vizinhos na semana que passou.
Portaria da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior, instância específica do Ministério da Educação para tais casos, autorizou o funcionamento do curso de Direito, inicialmente com 100 vagas
Para esclarecer os leitores sobre o assunto, o Jornal de Jales entrevistou a reitora Maria Christina Soler Bernardo e o advogado e professor universitário Guilherme Soncini da Costa, coordenador do novo curso.

REITORA CHRISTINA:
“Construímos um projeto pedagógico inovador”

J.J. O que significa a autorização para o funcionamento do curso de Direito na Unijales?
Christina - Em primeiro lugar, significa a realização de um sonho, tendo em vista que este curso é um desejo antigo. Em segundo lugar, representa a entrada da Unijales em um novo patamar, ampliando nossa missão universitária de atender melhor as demandas acadêmicas de Jales e região. Mas significa, sobretudo, a solidez da Instituição e comprova seu compromisso com a qualidade de ensino. Introduz um novo ânimo na esfera acadêmica.

J.J. Como a comunidade acadêmica recebeu a boa nova?
Christina - Percebemos que não apenas a comunidade acadêmica, mas toda a sociedade local e regional recebeu com muita euforia a notícia da aprovação do curso de Direito. Uma vez que esse curso abre o grande leque de possibilidades para atividades acadêmicas e representará um enorme ganho no campo do ensino, pesquisa e extensão. Jales tem a melhor estrutura da região para o funcionamento do curso de Direito, e neste contexto, a Unijales, com mais de 48 anos formando e colocando milhares de profissionais no mercado de trabalho, vem somar, ampliando a oferta de trabalho docente e incentivando o desenvolvimento do comércio e da prestação de serviços.

J.J. A Unijales já está preparada do ponto de vista material e pedagógico para o novo curso?
Christina - A Unijales está muito bem preparada. Como foi dito, trata-se de um sonho antigo. Mas a Unijales constantemente recebe comissões de avaliação do Mec para outros cursos, então estamos sempre nos preparando, tanto na ampliação de biblioteca e do seu acervo, como na reforma e adequação do prédio. Mas falando especificamente do curso de Direito, construímos um projeto pedagógico inovador, amplamente discutido com os melhores especialistas da área do Direito. Todos os professores que farão parte do corpo docente são mestres e doutores. Prova desse preparo, foi a excelente avaliação alcançada, tanto pela visita do MEC, quanto pela visita de um representante da OAB.

J.J. Quais são os planos da Unijales para o futuro próximo?
Christina - A Unijales está crescendo de forma consciente e consistente, sempre atenta as demandas acadêmicas. Novos projetos serão implantados na medida em que os atuais forem solidificados. A qualidade é a nossa maior preocupação e prioridade. Nos tornamos pioneiros na educação desta forma e é assim que vamos seguir.
Para isso, estaremos sempre em busca de oferecer cursos de excelência e criar novos que possam partir do mesmo patamar de excelência.
Porque tudo isso sempre foi o sonho e o objetivo do trabalho desenvolvido pelos meus pais e que nós continuamos a desenvolver. 
A maior incentivadora do meu trabalho foi a minha mãe. Ela sempre me dizia que se eu escolhesse um outro caminho, quem daria continuidade ao trabalho dela? Por esse motivo e por amor à educação, eu optei por seguir o meu caminho aqui dentro da Unijales e me orgulho muito dessa escolha.


COORDENADOR GUILHERME:
“Sempre há espaço para bons profissionais”

J.J. - Como o senhor recebeu o convite para coordenar o curso de Direito da Unijales?
Guilherme - Com muito orgulho, já que trabalhamos previamente como professor nesta Instituição, agora, para a instalação do curso e a instituição é de Jales. A conquista do curso demonstra a nova fase que a Unijales está implantando no seu crescimento com qualidade.

J.J. - O corpo docente do novo curso já está definido?
Guilherme - Sim, quando iniciou o projeto do curso havia necessidade de se definir o corpo docente. Importante mencionar que o corpo docente é composto por profissionais com mestrado, doutorado e publicações acadêmicas. Além dos títulos, todos com experiência na docência universitária, nesta e outras instituições de ensino. Nesse quesito tivemos nota máxima (05) na avaliação do MEC.

J.J. - Um dos pressupostos do funcionamento de um curso de Direito é a biblioteca. Em sua avaliação, a Unijales preenche os requisitos?
Guilherme - Sim, o acervo da biblioteca é composto de obras atualizadas com quantidade suficiente para atender todos os discentes, inclusive periódicos eletrônicos, e bibliotecário muito capacitado. A bibliografia específica do Curso de Direito já foi adquirida pela Instituição, cujas obras estão catalogadas e disponíveis para consulta dos discentes. Tanto que a biblioteca e o bibliotecário João Paulo Campaneri tiveram nota máxima (05) na avaliação do MEC.

J.J. - O senhor é advogado militante. Há espaço para novos advogados no mercado?
Guilherme - Sim! Sempre há espaço para bons profissionais, em qualquer área. Mas, é indispensável salientar que a Faculdade de Direito de Jales não irá formar somente advogados. O Curso de Direito propicia a graduação de bacharéis em Direito disponibilizando as estes um leque de opções que nenhuma outra área fornece. Ao concluir o Curso de Direito, o bacharelando poderá, através de concurso, ingressar na Magistratura (juiz de direito, juiz federal, juiz do trabalho, juiz militar, analista do Tribunal Regional do Trabalho e do Tribunal Regional Federal); no Ministério Público (promotor de justiça, assistente de promotoria, analista de promotoria, procurador da República, procurador do trabalho, procurador militar); na polícia (delegado de polícia civil e delegado de polícia federal); na advocacia pública (procurador do Município, procurador da Câmara de Vereadores, procurador do Estado, procurador da União, procurador federal, procurador da Fazenda Pública Nacional, defensoria pública do Estado e da União); advogar, de forma autônoma e atuar (em todo o país) nas áreas criminal, civil, trabalhista, empresarial, previdenciária, tributária, ambiental, administrativa, biodireito, direito digital e eleitoral; advogar, como prestador de serviço para empresas em qualquer das áreas acima especificadas, além de atuar no Magistério (professor) sem conflito com as atividades já enunciadas.