jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Dificuldades

Dificuldades financeiras ou despreparo para gestão?
22 de abril de 2014

É de nosso conhecimento a “choradeira” geral dos prefeitos, principalmente os da nossa região, sobre os recursos que estão cada vez mais escassos. Do governo federal, o FPM (Fundo de Participação dos Municípios), seguido pela ordem os impostos estaduais, tributos municipais e impostos dentre outros (IPTU, ISS, ITBI e ICMS). Com essa queda, segundo os gestores, tem causado desconforto na administração e já apresentando muitos desses municípios em dificuldades financeiras. Há um desespero geral.
Dentre esses repasses acima elencados, o FPM apenas corroborou o fato, mas as dificuldades financeiras municipais que enfrentam os municípios já existiam antes dessa redução e já se manifestavam por muitos anos. Entre as principais causas dessas dificuldades financeiras que os municípios enfrentam, destaca-se principalmente o descontrole financeiro, incluindo desperdícios, gastos desnecessários e investimentos inoportunos; políticas de arrecadações inadequadas; incompetência ou despreparo dos gestores municipais (principalmente prefeitos, vice-prefeitos, secretários e assessores) e finalmente a falta ou inapropriado orçamento financeiro e planejamento estratégico municipal de longo prazo.  
Tudo isso é passado e não vai mudar. Não adianta, como diz o ditado, “chorar o leite derramado”, é preciso arregaçar as mangas. O presente e o futuro podem ser mudados. Basta os gestores municipais fazerem a lição de casa e deixar de lado as críticas aos seus antecessores (prefeitos) e principalmente aos governos federal e estadual.
Neste quadro apresentado, o que se pode fazer?
Em algumas atividades podem ser efetivamente elaboradas pelos gestores municipais, tais como: orçamento e controle financeiro, sistema de informações e de indicadores públicos, gerência de projetos, parcerias públicas e privadas, planejamento estratégico municipal.
Diante de tudo isso, pode-se questionar: “o problema é financeiro ou é de gestão dos municípios”? É fácil montar um projeto assim? Claro que não é fácil. Mas, diante disso, os gestores municipais podem recorrer às organizações privadas, associações, sociedade civil, escolas e demais instituições que representam os cidadãos e pedir sua contribuição.
Notamos que o gestor (prefeito) municipal, tem que ser uma pessoa de caráter empreendedor, o município é como se fosse uma grande empresa que requer um bom gerenciamento e um olhar para o futuro. Não se pode tratar uma Prefeitura como um órgão qualquer que se pode fazer o que bem entender. O gestor que ainda pensa assim, sua administração esta fadada realmente ao fracasso e “cair pelo ralo”.
Temos que juntar esforços, integrados e participativos. Isso tudo para minimizar e planejar as dificuldades financeiras dos municípios e, como consequência, iniciar ou sedimentar e melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, principalmente os mais pobres e humildes.

 Osmar Gabriel
(Corretor de imóveis. RG 8.320.382)