jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Dicas para negociar suas dívidas

Por Silvia Barbosa de Melo
18 de agosto de 2019
Silvia Barbosa de Melo
mprevistos acontecem e tem um ditado que diz assim: “até os cozinheiros mais experientes podem queimar o arroz alguma vez na vida”
Se por alguma razão as coisas saíram do controle, e geraram necessidade de recurso, quais os meios que podem ser utilizados para sanar o problema? Vejam abaixo as alternativas. 
Para começar a melhor idéia é fazer listas. Elas são fundamentais para você reorganizar o seu orçamento. 
- Então elabore uma planilha criteriosa de todas as dívidas, para ter noção do tamanho do do problema. Reúna canhotos, faturas do cartão de crédito e comprovantes de tudo;
- Prepare-se para a realidade, e monte um plano de ação;
- Busque apoio da família, exponha a realidade quanto à situação financeira e os detalhes dos problemas;  
-Observe se é possível negociar alguma dívida junto ao credor, como por exemplo: aumentar o prazo ou número de parcelas, qual será o desconto em percentual sobre a dívida total? se pagar a vista tenho um desconto maior? Se parcelar, quais serão os juros? Depois de pagar, em quanto tempo terei minha situação regularizada no Serasa? Quando pagar, vou receber uma carta de quitação?).
- Evite pagar parcela mínima do cartão de crédito, os juros elevados podem complicar ainda mais o endividamento;
- Tente obter recursos através de empréstimo a um parente próximo ou amigo;
- Solicite um empréstimo a uma instituição bancária. Avalie o custo do dinheiro, ou seja, quanto pagará com os juros. As financeiras ofertam credito com facilidade, porém com juros elevados;
- Seja rígido com os gastos adicionais, até que a situação seja regularizada. Nesse momento, é necessário abrir mão de alguns prazeres como: roupas novas, cinema, almoço e jantarzinho fora; esteja preparado para apertar os cintos em prol de uma boa causa: a sua tranquilidade financeira.
- Pense antes de comprar, pesquise preços, vale a pena negociar sempre.
- Elimine o uso de cartões de crédito. Passe a adotar hábitos de compra à vista e só volte a usar o cartão quando quitar todas as dívidas;
- Não se deixe levar pelos apelos publicitários realizando compras por impulso. Seja forte! 
- Concentre as datas para pagamento das despesas fixas; 
- Faça a sua planilha mensal constante. Reveja os pagamentos que podem ser economizados e reduzidos. Crie metas e assegure que estão sendo cumpridas;
- Veja a possibilidade de aumentar a receita, buscando mais uma atividade remunerada. 
-Aprenda a poupar regularmente, evite novas dívidas e mantenha a sua planilha financeira sempre atualizada. 
E principalmente tenha objetivos definidos, pois ajudam as pessoas a não saírem gastando em coisas sem importância e que não agrega m valor.

Silvia Barbosa de Melo
(empresária, contadora, mestre em Ciências Contábeis e diretora-proprietária da escola de idiomas CNA)