jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

DIA D- A não ser que mude tudo entre hoje e amanhã ...

Fique Sabendo
24 de setembro de 2017
Mário Okanobo, presidente da Unimed, quer resolver venda da Facip na semana que entra
DIA D- A não ser que mude tudo entre hoje e amanhã, na próxima terça-feira, dia 26 de setembro, a diretoria da Unimed de Jales e o empresário Rafael Vieira Carvalho baterão o martelo sobre a venda do recinto da Facip, que pertence à cooperativa médica. A informação à coluna foi dada pelo presidente da Unimed, Mário Okanobo, na presença dos diretores Mauro Carvalho, Francisco Alonso Gerez e Osvaldo Gurian.

PRETO NO BRANCO- Em princípio, as partes acertaram que Rafael deverá fazer um depósito bancário em nome da Unimed, após o que a cooperativa fará a transferência em cartório dos documentos necessários para concretizar a operação.

INTERCORRÊNCIA – A coluna apurou que as rodada final de negociações só não foi realizada  antes porque o presidente Mário Okanobo tinha viagem programada para a cidade de Sarasota, localizada no sudoeste do Estado da Flórida, nos Estados Unidos,  onde passou a morar e trabalhar seu filho Heitor, médico radiologista que atuava em Boston (Harvard). Com Mário viajou sua esposa Luzia. 

 ASA DURA- A propósito, além de Mário, outro médico jalesense , o radiologista Mauro Carvalho, esteve nos Estados Unidos, acompanhado do filho Mauro Augusto (Guto), médico em São Paulo  que fala fluentemente inglês Mauro ficou mais em New York.

MALUCO BELEZA – Como era previsível, tanto Mário Okanobo quanto Mauro Carvalho têm sido indagados sobre as trapalhadas do presidente Donald Trump. Com palavras diferentes, ambos disseram quase  a mesma coisa: o povo não dá muita bola para o governo até porque lá as coisas funcionam por si. Tais observações têm tudo a ver com o que publicou a Folha de S. Paulo, quarta-feira, sobre a participação de Donaldo Trump na Assembléia Geral da ONU: “uma estreia recebida com espanto e bocejos”.

CARTILHA – O advogado Ricardo Junqueira, auditor fiscal concursado  do município, integrou a força-tarefa da Prefeitura que foi falar com os vereadores sobre a questão do IPTU,horas antes da sessão do dia 11, ao lado de Pedro Callado (Procurador Geral), Nivael Renesto (secretário de Fazenda), Nelsinho Guzzo (chefe de gabinete da Fazenda), Niltinho Suetugo (Planejamento) e Chico Melfi (Administração). Consta que todos os vereadores entenderam o que foi explicado. Tanto que o Projeto de Lei Complementar foi aprovado por unanimidade.

BEABÁ- Porém, como um ou outro vereador andou amarelando em entrevistas no rádio, Ricardo, para dirimir dúvidas, imprimiu um pequeno texto intitulado “A realidade do aumento de 22,07% aprovados na Câmara”, para entregar a quem o indaga sobre o assunto.  Em apenas nove linhas, o auditor deu as coordenadas, cuja íntegra é a seguinte: “ 1)2,07%- correção monetária obrigatória por lei; 2) Correção do Valor Venal – Compensação das perdas ocorridas ao longo dos anos desde a última atualização da Planta Genérica de Valores feia em 2008 e que entrou em vigor em 2009; 3) Atualmente, o valor venal dos imóveis do município com o reajuste de 22,07% alcançarão aproximadamente 40% do valor real ou de mercado, sendo que o ideal, praticado pelos municípios do Estado de São Paulo é de 80% do valor real ou de mercado”

SINAL DE ALERTA – Ao ser entrevistado na quinta-feira, dia 14,  sobre o Encontro Estadual das Comunicades Eclesiais de Base, de 15 a 17 em Jales,  o bispo D. Reginaldo Andrieta, ao abordar a questão do trabalho para os jovens, disse estranhar  que não existam em nossa cidade instrumentos de qualificação profissional  com os três S: Senai, Senac e Sesi. E mandou recado direto e reto:as autoridfades constituídas precisam cuidar melhor disso.

MERCADO -José Magalhães Rocha está fazendo o que gosta. Depois de ficar dois anos na Prefeitura como supersecretário da administração Pedro Callado, acumulando Planejamento e Fazenda, ele voltou ao mercado na iniciativa privada como consultor de empresas, sua praia. Ele vem prestando serviços a empresas de Jales e região, entre as quais a Pantaton, fabricante de material esportivo.

TÚNEL DO TEMPO – Muita gente sabe, mas nunca é demais lembrar que Magalhães tem todas as condições de assessorar qualquer empresa, pois já foi diretor de multinacionais como a Philco, e presidente da HDL, a maior empresa de logística do mundo. Quando deu a volta olímpica em São Paulo, onde viveu quase três décadas, e pensou que ia ficar de papo pro ar no seu sítio em Mesópolis, onde nasceu, foi requisitado pelo empresário Vadão Gomes e passou dois anos como “controler” da Estrela Alimentos.